A decomposição cadavérica e as dificuldades de gestão dos espaços funerários

  • Maria Teresa Ferreira CENCIFOR
  • Eugénia Cunha CENCIFOR / Departamento de Ciências da Vida da UC

Resumo

Compreender a decomposição cadavérica é fundamental na prática forense, nomeadamente para a estimativa do intervalo pós-morte (PMI1), sendo também relevante na gestão funerária, tarefa cada vez mais difícil devido à sobrelotação dos cemitérios dos grandes centros populacionais. Aplicando os princípios da Tafonomia a uma amostra de 35 inumações (18 indivíduos do sexo masculino e 17 do feminino, todos adultos; PMI entre 3 e 83 anos) de dois cemitérios municipais da Figueira da Foz, analisaram-se os seguintes parâmetros: decomposição cadavérica, preservação esquelética, PMI, tipo e composição da sepultura, idade e sexo do indivíduo. Este estudo mostrou que houve variações no desenrolar do processo de decomposição dos cadáveres analisados, dos quais 14 sofreram fenómenos de preservação (2 mumificaram e 10 saponificaram). A decomposição depende do PMI, mas esta relação é variável e não linear, tornando impossível prever o estado de decomposição do cadáver apenas com base no PMI de forma a programar devidamente as exumações/trasladações necessárias à gestão dos espaços funerários. Tornou-se evidente que o prazo legal de 3 anos é insuficiente para a rotação das sepulturas. Observou-se também que o tipo de sepultura, o vestuário e a presença de fralda tiveram influência na decomposição dos cadáveres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Teresa Ferreira, CENCIFOR

Doutoramento em Antropologia Forense pela UC

Mestrado em Evolução Humana pela FCTUC

Curso Superior de Medicina Legal pelo INMLCF.IP.

Licenciatura em Antropologia pela FCTUC

Publicado
2016-05-04
Como Citar
FERREIRA, Maria Teresa; CUNHA, Eugénia. A decomposição cadavérica e as dificuldades de gestão dos espaços funerários. Antropologia Portuguesa, [S.l.], v. 30, p. 77-97, maio 2016. ISSN 2182-7982. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/antropologiaportuguesa/article/view/1630>. Acesso em: 25 maio 2017.
Secção
Artigos temáticos

Palavras-chave

Antropologia forense; gestão de cemitérios; decomposição cadavérica; intervalo pós-morte (PMI)