Osteological analysis of a skeleton with intentional dental modifications, exhumed from Largo do Carmo, Lisbon

  • Sofia Neto Wasterlain Departamento de Ciências da Vida Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Resumo

Este trabalho apresenta a análise osteobiográfica de um jovem adulto exumado do cemitério associado à Igreja do Carmo, Lisboa, durante a 2.ª campanha de intervenções arqueológicas decorrida em 2010/2011. O cemitério terá sido usado entre inícios do século XV e 1755 A.D., ainda que os contextos arqueológicos associados ao enterramento nos permitam balizá-lo entre os séculos XVII e XVIII. O esqueleto destaca-se pela morfologia craniana sugestiva de uma origem africana e pelas modificações dentárias intencionais. Estas consistem na remoção de ambos os ângulos incisais dos incisivos superiores, o que corresponde a uma prática de cariz ritual e sociocultural, comummente efectuada na África subsariana, desde tempos pré-históricos até à actualidade. De destacar uma lesão periapical associada ao incisivo central superior direito que se encontra hígido mas modificado. A diáfise da clavícula esquerda apresenta reacção óssea remodelada do periósteo, cinco costelas apresentam formação óssea incorporada no periósteo ao longo do colo e a articulação esternal da primeira costela esquerda encontra-se deformada. Considerando que, durante o século XVI, Lisboa se tornou num eixo fundamental das estradas marítimas intercontinentais, não é de estranhar que pessoas Africanas tenham sido sepultadas nos cemitérios de Lisboa, permitindo-nos reconstruir as suas vidas e mortes.
  • Resumo viewed = 39 times
  • PDF viewed = 51 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-10-19
Como Citar
WASTERLAIN, Sofia Neto. Osteological analysis of a skeleton with intentional dental modifications, exhumed from Largo do Carmo, Lisbon. Antropologia Portuguesa, [S.l.], v. 32, out. 2016. ISSN 2182-7982. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/antropologiaportuguesa/article/view/2341>. Acesso em: 14 dez. 2017.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Antropologia Biológica