Uma abordagem multiescalar das alterações do uso do solo na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro.

  • Paula Coelho Araujo

Resumo

As florestas tropicais prestam diversos serviços ambientais, principalmente as urbanas que atuam como reguladores climáticos e hidrológicos dos sítios urbanos. A Floresta da Tijuca está localizada na cidade do Rio de Janeiro (Brasil) e possui um histórico de devastação, o que refletiu em grande perda da sua diversidade e alterações em todo o sistema geohidroecológico. O objetivo da pesquisa é realizar um resgate espaço-temporal dos impactos provocados na floresta, por alterações no uso do solo, e como estes impactos conduziram às modificações nos sistemas ambientais. O processo de degradação florestal iniciou-se no século XIX, a partir da derrubada da vegetação e implantação do cultivo do café nas encostas florestadas. A cidade do Rio de Janeiro então sofreu déficits no abastecimento de água, a estabilidade original do sistema foi afetada e houve alterações nas condições microclimáticas, contribuindo para que o governo promovesse o reflorestamento destas áreas. Por ser uma floresta urbana, a mesma é fonte de grandes pressões externas que alteram as condições iniciais do geossistema, sendo constatada na pesquisa modificações na temperatura e na qualidade da água, ocorrência de chuva ácida, deslizamentos de terras, dentre outros. Este quadro de degradação evoluiu significativamente ao longo das décadas, porém a unidade de conservação, nos últimos anos, tem sido fortemente protegida por medidas implantadas pelo órgão gestor e apresentando melhorias nos resultados em termos de qualidade ambiental. Conclui-se que a floresta, apesar de toda a degradação sofrida, continua ainda desempenhando funções fundamentais como a estabilização do clima, a regulação hidrológica e as raízes da cobertura vegetal contribuem para a estabilidade das encostas. Nesse sentido, a conservação deste recurso é fundamental para que estes serviços ambientais continuem sendo realizados e continuem também beneficiando a própria cidade.

Palavras-chave

floresta urbana, alterações no uso do solo, degradação florestal

  • Resumo visualizado = 1 vezes
  • PDF visualizado = 4 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-07-26
Como Citar
ARAUJO, Paula Coelho. Uma abordagem multiescalar das alterações do uso do solo na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro.. Cadernos de Geografia, [S.l.], n. 37, p. pp. 71-79, jul. 2018. ISSN 2183-4016. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/cadernosgeografia/article/view/4233>. Acesso em: 14 nov. 2018.
Secção
Artigos