A ARQUEOLOGIA COMO OFÍCIO DE MATERIALIZAÇÃO, COMPREENSÃO E ACONTECIMENTO

  • Sérgio Gomes Centro de Estudos em Arqueologia, Artes e Ciências do Património

Resumo

Neste texto partimos da natureza epistemológica do registo arqueológico para dar ênfase à arqueologia enquanto prática de materialização da alteridade. Com este propósito, desenvolvemos uma leitura da prática arqueológica a partir de conceitos provenientes do pensamento crítico contemporâneo, designadamente: o Arquivo, a Compreensão e o Acontecimento. Tentamos demonstrar o processo arqueológico como uma prática de arquivo onde se
constituem objetos de estudo que, enquanto objetos de compreensão, podem ser elementos das condições de Acontecimento, isto é, elementos que abalam as finalidades impostas ao conhecimento arqueológico e o abrem enquanto possibilidade de relação com a diferença.

Palavras-chave

Registo arqueológico, Arquivo, Compreensão, Acontecimento, Alteridade

  • Resumo visualizado = 7 vezes
  • PDF visualizado = 3 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-07-19
Como Citar
GOMES, Sérgio. A ARQUEOLOGIA COMO OFÍCIO DE MATERIALIZAÇÃO, COMPREENSÃO E ACONTECIMENTO. Conimbriga, [S.l.], v. 56, p. pp. 5-40, jul. 2018. ISSN 1647-8657. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/conimbriga/article/view/5803>. Acesso em: 16 out. 2018.
Secção
Artigos