O Estado Novo brasileiro como espelho do Salazarismo: autoritarismo e corporativismo na seção «Crítica» da revista Brasília do Instituto de Estudos Brasileiros da FLU (1942-1944)

  • Marcello Felisberto Morais de Assunção Universidade Federal de Goiás

Resumo

Nesse texto pretendemos analisar a leitura que os intelectuais portugueses faziam do Estado Novo brasileiro (1937-1945), perscrutando essas visões por meio de algumas críticas da Revista Brasília (1942-1944), publicada pelo Instituto de Estudos Brasileiros da FLUC. Essa leitura, segundo nossa tese, esteve vincada a certo espelhamento político entre o salazarismo e o varguismo que os intelectuais portugueses legitimaram a partir da comparação entre o autoritarismo e corporativismo de ambos Estados Novos no Brasil e em Portugal. Inicialmente, para melhor compreender essa construção, daremos um painel geral da Universidade de Coimbra em tempos de autoritarismo: o espaço social formativo dos intelectuais antiliberais, antissocialistas, corporativos e autoritários da revista Brasília. Para em seguida, analisar a imagem do Estado Novo brasileiro construída nas críticas a livros brasileiros por meio de três áreas do conhecimento em particular: Pedagogia, Direito e História.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-11-18
Como Citar
ASSUNÇÃO, Marcello Felisberto Morais de. O Estado Novo brasileiro como espelho do Salazarismo: autoritarismo e corporativismo na seção «Crítica» da revista Brasília do Instituto de Estudos Brasileiros da FLU (1942-1944). Revista de História das Ideias, [S.l.], v. 34, p. 169-190, nov. 2016. ISSN 2183-8925. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/index.php/rhi/article/view/3764>. Acesso em: 28 maio 2017.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Revista Brasília; Salazarismo; Varguismo; Autoritarismo; Corporativismo