A cobertura da morte de figuras públicas na imprensa portuguesa: contributos para uma categorização das personagens mediáticas

  • Joana Margarida Martins Mota Escola Superior de Educação de Viseu

Resumo

A morte de figuras públicas assume relevância para os media, dada a presença dos valores-notícia da morte e da notoriedade. No entanto, não basta que se verifiquem estes critérios, para que estejamos perante um grau de noticiabilidade estanque. A partir do estudo da morte de 20 figuras públicas, chegámos a diferentes tratamentos por parte dos três jornais diários selecionados – o Correio da Manhã, o Diário de Notícias e Jornal de Notícias. Concluímos, pois, que a maior ou menor noticiabilidade se prende, quer com o estatuto da personalidade, quer com o posicionamento editorial do meio de comunicação social e ainda com algumas contingências do período em que ocorre o acontecimento. Assim, propomos a categorização das figuras públicas, cuja morte foi alvo de cobertura mediática, com base no estudo dos diferentes estatutos de personalidades, como heróis, mitos, celebridades, estrelas e fama, alguns dos quais diretamente dependentes dos media e, outros, oriundos dos estudos narrativos.

Palavras-chave

morte, figuras públicas, celebridades, narrativas mediáticas

  • Resumo visualizado = 39 vezes
  • PDF visualizado = 25 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-03-05
Como Citar
MOTA, Joana Margarida Martins. A cobertura da morte de figuras públicas na imprensa portuguesa: contributos para uma categorização das personagens mediáticas. Mediapolis – Revista de Comunicação, Jornalismo e Espaço Público, [S.l.], n. 6, p. 77-93, mar. 2018. ISSN 2183-6019. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mediapolis/article/view/5362>. Acesso em: 16 nov. 2018.