Contributos para o estudo sobre a feminização do jornalismo português

  • João Miranda Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras, Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX

Resumo

   
Com base nos dados da comissão da carteira profissional e nos resultados de um inquérito nacional aos jornalistas, o presente estudo procura oferecer alguns contributos empíricos para um enquadramento da atualidade do processo de feminização das redações portuguesas, fundamentando-se em duas premissas gerais: um trajeto de recomposição sociográfica do jornalismo português, no sentido da contração das disparidades de género – alicerçado em fatores como o rejuvenescimento da profissão e o aumento da formação dos jornalistas –, e um quadro de contradições desse mesmo processo de feminização – onde se destaca a falta de representação das mulheres nos cargos e funções de responsabilidade editorial, e uma desestruturação das condições laborais. A desagregação por género dos resultados do inquérito demonstra que, não obstante uma tendência geral para uma relativa harmonia entre as respostas de homens e mulheres, se evidenciam algumas discrepâncias relativas à situação laboral e ao campo das conceções sobre o exercício da profissão.

Palavras-chave

jornalistas; feminização; profissão; género

  • Resumo viewed = 44 times
  • PDF viewed = 23 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-10-11
Como Citar
MIRANDA, João. Contributos para o estudo sobre a feminização do jornalismo português. Media & Jornalismo, [S.l.], v. 17, n. 30, p. 27-42, out. 2017. ISSN 2183-5462. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/4714>. Acesso em: 14 dez. 2017.
Secção
Artigos