Sisters doing it by themselves: woda in antinuclear and other protests from the 1980s onwards

  • Diana Silver Universidade de Coimbra, Faculdade de Letras

Resumo

Por que razão as mulheres optaram por fazer protestos políticos sem homens? Essa escolha tem validade epistemológica e prática para a ação direta no século XXI? O artigo menciona os antecedentes da ação direta de mulheres-apenas em Greenham, no Reino Unido, na década de 1980; Esta manifestação apresentou a NVDA a um público britânico acostumado a formas de protesto com maior deferência, e encorajou muitas mulheres antes heterossexuais a outras formas de sexualidade. O artigo considera as identidades usadas pelas mulheres nessas ações, juntamente com outras identidades que não surgiram. São discursivamente analisados dois manifestos, de Greenham em 1981 e de ações em 2016, que mostram um afastamento da antiga versão da mulher como pacifista, materna e “vulnerável”. Por enquanto, a guerra nuclear foi ultrapassada por uma série de ameaças ainda maiores, mas todas elas exigem respostas além das urnas, com NVDA criativas e feministas continuando a fornecer um modelo útil.

Palavras-chave

manifestações feministas; ação direta não violenta; armas antinucleares; campos de paz; greenham Common

  • Resumo viewed = 9 times
  • PDF (English) viewed = 4 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-10-11
Como Citar
SILVER, Diana. Sisters doing it by themselves: woda in antinuclear and other protests from the 1980s onwards. Media & Jornalismo, [S.l.], v. 17, n. 30, p. 85-98, out. 2017. ISSN 2183-5462. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/mj/article/view/4718>. Acesso em: 14 dez. 2017.
Secção
Artigos