A DISCIPLINARIZAÇÃO DA LITERATURA ANGOLANA: HISTÓRIA, CÂNONES, DISCURSOS LEGITIMADORES E ESTATUTO DISCIPLINAR

  • Luís Kandjimbo Universidade Gregório Semedo

Resumo

O processo de disciplinarização da Literatura Angolana é aqui abordado no quadro analítico de uma história disciplinar que, partindo da situação colonial, destaca a agência das elites nativas angolanas e sua reações contra o cânone literário colonial português e, consequentemente, a produção de contra-cânones e contra-literaturas através de um discurso coerente que configura a formação de uma modernidade alternativa. Semelhante exercício convoca o conceito de angolanidade arquitópica numa dialética de discursos legitimadores que o opõe ao conceito de crioulidade. Deste modo, reconhece-se a Literatura angolana enquanto objecto de um conhecimento proposicional de que deriva, por um lado, o seu estatuto epistemológico, escolar e académico, por outro lado, os fundamentos do cânone literário angolano. Portanto, faz-se a advocacia de uma legitimação da crítica aos modelos dominantes de ensino e investigação da Literatura Angolana, entendida esta numa perspetiva holística, compreendendo a institucionalidade das literaturas orais em línguas nacionais.

Palavras-chave

Literatura Angolana, Disciplinarização, cânone literário, discurso legitimador, estatuto epistemológico, angolanidade literária

  • Resumo viewed = 16 times
  • PDF viewed = 4 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-06-19
Como Citar
KANDJIMBO, Luís. A DISCIPLINARIZAÇÃO DA LITERATURA ANGOLANA: HISTÓRIA, CÂNONES, DISCURSOS LEGITIMADORES E ESTATUTO DISCIPLINAR. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 5, p. 49-103, jun. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4291>. Acesso em: 11 dez. 2017.