O MANTO DIÁFANO DA SÁTIRA: A MENSAGEM DE EÇA PARA MACHADO N’A CIDADE E AS SERRAS

  • Kenneth David Jackson Yale University

Resumo

Até o fim da década de 1890, Eça de Queirós já havia lido, sem dúvida, os dois grandes romances de Machado de Assis, Memórias póstumas de Brás Cubas (1880-1881) e Quincas Borba (1890), depois de ter respondido às críticas feitas por Machado a O primo Basílio, publicadas n’O Cruzeiro em abril de 1878. Uma forma inesperada de comunicação entre os dois autores pode ser apreciada na sua ficção. No romance A cidade e as serras (1901) Eça contesta Machado indiretamente com uma sátira de alguns dos temas principais nos dois romances mencionados, desde a filosofia do “Humanitismo” ao trabalho útil dos vermes.

Palavras-chave

Eça de Queirós, Machado de Assis, críticas, espelhamento literário

  • Resumo visualizado = 22 vezes
  • PDF (English) visualizado = 16 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-10-01
Como Citar
JACKSON, Kenneth David. O MANTO DIÁFANO DA SÁTIRA: A MENSAGEM DE EÇA PARA MACHADO N’A CIDADE E AS SERRAS. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 6, p. 83-94, out. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4882>. Acesso em: 15 ago. 2018.