PARA UMA POÉTICA DA PERSONAGEM QUEIROSIANA

  • Maria do Rosário Cunha Universidade de Coimbra

Resumo

Este ensaio tem como objetivo proceder a uma reflexão em torno das estratégias de construção da personagem na ficção narrativa de Eça de Queirós, em particular a que se situa na década de 70 do século XIX, ou seja, em plena fase realista do escritor. Num momento introdutório, e recorrendo à correspondência do autor, referem-se as dúvidas tantas vezes manifestadas relativamente ao seu trabalho e à ilusão de vida e de verdade que ambicionava imprimir nas suas personagens. Segue-se uma reflexão sobre a personagem-tipo, tão presente na produção literária do Realismo e com tão vasto lugar nos mundos ficcionais por Eça criados. Luísa, a personagem principal do romance O primo Basílio, publicado em 1878, é o instrumento desta reflexão que procura: analisar as estratégias retórico-discursivas que suportam a existência da personagem no mundo possível de que faz parte; reavaliar os juízos críticos de que a personagem foi objeto, com particular destaque para o de Machado de Assis. A concluir, retoma-se a questão da personagem tipo e a inclusão de Luísa nessa categoria.

Palavras-chave

Eça de Queirós, O primo Basílio, personagem, personagem-tipo, Realismo, adultério

  • Resumo visualizado = 21 vezes
  • PDF visualizado = 22 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-27
Como Citar
CUNHA, Maria do Rosário. PARA UMA POÉTICA DA PERSONAGEM QUEIROSIANA. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 6, p. 201-217, dez. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4888>. Acesso em: 23 jun. 2018.