CONDICIONALISMOS DA IDENTIDADE KUVALE EM VOU LÁ VISITAR PASTORES

  • Paulo Branco Lima CLP, Universidade de Coimbra

Resumo

Partindo de uma leitura da obra Vou lá visitar pastores (1999), de Ruy Duarte de Carvalho, o presente artigo propõe-se analisar vários vetores da condicionalidade do povo Kuvale, nomeadamente quanto ao seu posicionamento identitário face ao processo de construção do Estado-Nação de Angola. De igual modo, procura-se refletir acerca do impacto político-social da globalização na tradição dos Kuvale, levando em conta aspetos como o relacionamento com ONG’s, a circulação de gado ligada ao lugar das mulheres, e a economia particular dos pastores. Encarando a realidade deste povo angolano, sobressai o projeto literário do autor, eivado de uma prática ficcional autobiográfica estilisticamente sedutora, ultrapassando o mero exercício etnográfico.

Palavras-chave

Vou lá visitar pastores, Ruy Duarte de Carvalho, identidade, globalização, etnografia, ficção

  • Resumo visualizado = 21 vezes
  • PDF visualizado = 11 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-27
Como Citar
LIMA, Paulo Branco. CONDICIONALISMOS DA IDENTIDADE KUVALE EM VOU LÁ VISITAR PASTORES. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 6, p. 423-441, dez. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4897>. Acesso em: 23 jun. 2018.
Secção
Secção Não-Temática