Lusofonia em perspectiva: panlusitanismo, lusobrasileirismo e lusotropicalismo

  • Mateus Silva Skolaude Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC‑RS)
  • Marçal de Menezes Paredes Pontifícia Universidade Católica do RS (PUC‑RS)

Resumo

Neste artigo circunscrevemos três conceitos debatidos na perspectiva lusófona e que foram propagados entre as décadas de 1930 e 1950. O panlusitanismo do Boletim da Sociedade Luso‑Africana do Rio de Janeiro que buscava a difusão ideológica das tradições lusitanas e a exaltação do vasto império colonial; o lusobrasileirismo do intelectual português Nuno Simões que defendia uma aproximação cultural fundamentada nos laços de sangue, língua e história, bem como o lusotropicalismo do ensaísta brasileiro Gilberto Freyre, que postulava uma singular capacidade de colonização dos portugueses, por conta da miscigenação e da adapção aos trópicos. Ao compreender a lusofonia enquanto perspectiva discursiva de matriz cultural, toma‑se com especial interesse a configuração de escala do panlusitanismo, do lusobrasileirismo e do lusotropicalismo, ao passo que a questão central a ser analisada diz respeito a historicidade dos discursos políticos e as redes intelectuais articuladas em torno deles.

Palavras-chave

Perspectiva lusófona; Panlusitanismo; Lusobrasileirismo; Lusotropicalismo

  • Resumo visualizado = 4 vezes
  • PDF visualizado = 4 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-03
Como Citar
SKOLAUDE, Mateus Silva; PAREDES, Marçal de Menezes. Lusofonia em perspectiva: panlusitanismo, lusobrasileirismo e lusotropicalismo. Revista Portuguesa de História, [S.l.], v. 48, p. 257-274, abr. 2018. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rph/article/view/5530>. Acesso em: 24 jun. 2018.
Secção
Mobilidades e Migrações