Rudimentos de Biopolítica no Direito Romano

  • Miguel Régio de Almeida Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Homens Sagrados, Estrangeiros, Escravos, Ius gentium, Iustitium

Resumo

Propõe‑se neste artigo uma reflexão jusfilosófica sobre a Biopolítica no Direito Romano, assente em figuras jurídicas como os homens sagrados, os estrangeiros, os escravos e o iustitium. Operando na margem da sociedade romana, representam uma relação de inclusão ou tolerância num Mundo centrado nos seus cidadãos, o que levou a fomentar um estado de exceção ou modos de integração de tal marginalidade. Dinâmica que carreia ainda lições para o Tempo Presente, onde se propugna um novo ius commune.

http://dx.doi.org/10.14195/2183-1718_66_11

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Miguel Régio de Almeida, Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra
Doutorando em Ciências Jurídico-Filosóficas.
Publicado
2014-12-10
Secção
Artigos