Vinculação, Memórias de Infância e Estilos Defensivos na População Dependente de Substâncias: Estudo Comparativo e Multivariado

  • Cláudia Nunes Carriço
  • Rui Paixão Universidade de Coimbra
Palavras-chave: Vinculação, Modelos Internos Dinâmicos, Dependência de Substâncias, Memórias de Cuidados Parentais, Estilos Defensivos

Resumo

Este artigo tem como objectivo avaliar as dimensões da vinculação na população dependente de substâncias (DS), bem como as variáveis associadas a este construto, particularmente as memórias de infância associadas à relação com os pais e os mecanismos de defesa. Numa primeira fase é feita a comparação entre um grupo de DS (n=65) e um grupo de sujeitos da população geral (n=65) emparelhados ao nível do género, idade e escolaridade. As diferenças entre grupos mostraram-se significativas ao nível da vinculação, memórias de infância e mecanismos de defesa específicos, como a clivagem e a supressão. Numa segunda fase, estuda-se a relação entre estas variáveis no grupo DS, tendo os resultados mostrado que a memória da rejeição da mãe e a clivagem têm um efeito preditor ao nível das dimensões da vinculação estudadas, sendo a clivagem o estimador mais consistente destas dimensões.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-06-01
Secção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)