L’école et les ambivalences du mérite

  • Marie Duru-Bellat Universités à Sciences Po Paris

Resumo

Nas sociedades modernas, quando o mérito é assumido como a base em que assenta a seriação dos indivíduos, a escola é perspectivada como sendo a responsável por fazer a avaliação desses níveis de mérito. Partindo do princípio que as sociedades são desiguais, a sociologia da educação mostra que é impossível considerar que o sucesso escolar se deva às diferenças de mérito individual. Do mesmo modo, uma meritocracia plena induziria várias consequências nefastas, tanto no meio escolar como na vida profissional. Contudo, o mérito não pode ser desconsiderado, assumido como um princípio de justiça, deve ser combinado com outros tais como os imperativos de necessidade e a igualdade. Resulta, portanto, que ao nível societal, a obsessão pelo mérito e a promoção de igualdade de oportunidades não deve desviar atenções da luta contra as próprias desigualdades.
  • Resumo visualizado = 23 vezes
  • PDF visualizado = 45 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-01-01
Como Citar
DURU-BELLAT, Marie. L’école et les ambivalences du mérite. Psychologica, [S.l.], p. p. 25-32, jan. 2010. ISSN 1647-8606. Disponível em: <https://impactum-journals.uc.pt/psychologica/article/view/1138>. Acesso em: 24 maio 2019.
Edição
Secção
Artigos

Palavras-chave

Desigualdades de realização social; mérito; meritocracia; princípios de justiça

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)