O papel mediador do comprometimento afetivo com a equipa na relação entre a confiança e a inovação em equipas com algum grau de virtualidade

Palavras-chave: confiança grupal; comprometimento afetivo com a equipa; inovação grupal; virtualidade da equipa

Resumo

A inovação grupal envolve processos sociais facilitados pela confiança grupal e comprometimento afetivo com a equipa. O presente trabalho teve como objetivo analisar, num contexto de equipas com algum grau de virtualidade, a relação entre a confiança e a inovação grupal, considerando o comprometimento afetivo com a equipa como mediador. Para prossecução do objetivo enunciado, foi realizado um estudo empírico, de natureza transversal, incidindo sobre 57 equipas de trabalho de organizações portuguesas pertencentes a diversos setores de atividade. Recorrendo ao inquérito por questionário como método de recolha de informação, os dados foram analisados ao nível grupal, tendo sido testado um modelo de mediação simples. Os resultados revelaram uma relação positiva e estatisticamente significativa entre a confiança grupal e o comprometimento afetivo com a equipa, bem como entre o comprometimento afetivo e a inovação grupal, no modelo de mediação da confiança afetiva. A hipótese de mediação não foi suportada. Estes resultados reforçam a literatura que alerta para a relevância da confiança grupal como estratégia para aumentar o comprometimento afetivo com a equipa e sugerem que este último pode constituir uma variável a não negligenciar na promoção da inovação grupal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-07-31
Como Citar
Bastos, L., Lourenço, P., Rebelo, T., & Dimas, I. (2019). O papel mediador do comprometimento afetivo com a equipa na relação entre a confiança e a inovação em equipas com algum grau de virtualidade. Psychologica, 62(1), 79-97. Obtido de https://impactum-journals.uc.pt/psychologica/article/view/7007
Secção
Artigos