PROCEDIMENTOS RETÓRICO-NARRATIVOS DE CONSTRUÇÃO DE PERSONAGENS JORNALÍSTICAS: O CASO DO JORNAL EXPRESSO DURANTE O VERÃO DE 2013

Autores

  • Ana Teresa Peixinho Universidade de Coimbra

DOI:

https://doi.org/10.14195/2183-847X_4_14

Palavras-chave:

Figuras mediáticas, narrativa jornalística, personagem, persona

Resumo

Um dos autores portugueses que problematiza o contributo dos Estudos Narrativos para a compreensão do funcionamento da personagem jornalística é Mário Mesquita que, no seu artigo “Personagem Jornalística: da Narratologia à Deontologia”, cruza conceitos da narratologia com exemplos dos media, defendendo que o estudo da construção da personagem jornalística se deve cruzar com os princípios da deontologia profissional.

Num texto mais recente, H. Heidbrink (Heidbrink, 2010: 67-110) lança as bases para o valor do estudo da personagem desenraizada do contexto literário que, durante décadas a delimitou e moldou. Procedendo a uma sistematização exaustiva do estado da arte sobre a questão, a autora foca essencialmente vetores que nos interessa explorar neste estudo: a relação entre persona e personagem; as fronteiras movediças entre real e ficcional; e o facto de a personagem ser, no final de contas, um constructo semiótico, feixe de signos complexos e materialmente detetáveis, produto de procedimentos retóricos específicos.

Assim, com base na leitura aprofundada destes dois textos, tentaremos perceber os dispositivos retóricos e narrativos utilizados pela imprensa na criação de figuras mediáticas, cujo conhecimento público se restringe precisamente àquilo que é veiculado pelos media. Ilustraremos a nossa reflexão com uma análise não exaustiva de um conjunto de edições do semanário Expresso, durante o verão de 2013.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2016-01-20

Edição

Secção

Secção Temática