Revista de História das Ideias https://impactum-journals.uc.pt/rhi <p>A <em>Revista de História das Ideias</em>, criada no âmbito do Instituto de História e Teoria das Ideias da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi fundada, em 1977, por José Sebastião da Silva Dias e dirigida também por Manuel Augusto Rodrigues, Luís Reis Torgal e Fernando Catroga.<br><br>A revista, de periodicidade anual, inicia em 2016 uma nova série (2ª série), depois de 33 números publicados, na sua maioria temáticos. Todos os artigos de pesquisa publicados na Revista de História das Ideias são objeto de rigorosa arbitragem científica, que compreende a triagem inicial da direção editorial e a revisão cega de, pelo menos, dois pares.<br><br>Admite artigos para publicação em língua portuguesa, inglesa, francesa, espanhola e italiana.</p> Imprensa da Universidade de Coimbra pt-PT Revista de História das Ideias 0870-0958 <p>Os autores conservam os direitos de autor e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a>&nbsp;que permite a partilha do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> A construção do Estado Novo vista pelos editoriais do jornal Diário da Manhã https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6516 <p>O artigo propõe-se analisar o processo de construção do Estado Novo nos anos 30 a partir da leitura dos Editoriais do jornal Diário da Manhã. Assim, contextualiza-se o aparecimento do periódico em 1931 e articula-se este facto com a emergência da União Nacional fundada em 1930 e com os seus Estatutos aprovados em 1932. Mostra-se como o DM era o orgão oficial do «partido político» do regime ditatorial e aborda-se a ideologia Estado-Novista por ele divulgada. Num segundo momento, opõe-se a doutrina nacionalista ao individualismo e ao demoliberalismo que tinham pautado a velha República e que foram derrotados pela «Revolução Nacional». Explica-se a formação da Constituição de 1933, descreve-se o modelo Corporativo da República Unitária e revela-se a Escola no quadro das reformas educativas de Carneiro Pacheco. Como epílogo do texto, traça-se uma breve panorâmica das relações entre Portugal e Espanha desde o fim da Ditadura de Primo de Rivera (1931) ao termo da Guerra Civil com o triunfo das forças franquistas apoiadas pela Itália, Alemanha e Portugal.</p> Vítor Neto ##submission.copyrightStatement## 2019-05-15 2019-05-15 37 285 312 [Recensão a] Dan Edelstein, The Enlightenment: A Genealogy https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6517 <p>https://doi.org/10.14195/2183-8925-37_13</p> Artur Lemos da Silva ##submission.copyrightStatement## 2019-05-15 2019-05-15 37 313 326 [Recensão a] António Vítor Ribeiro, O Auto dos Místicos: Mística, Religião Popular e Inquisição https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6518 <p>https://doi.org/10.14195/2183-8925_37_14</p> José Leitão ##submission.copyrightStatement## 2019-05-15 2019-05-15 37 326 332 [Recensão a] Isabel dos Guimarães Sá, O Regresso dos Mortos. Os Doadores da Misericórdia do Porto e a Expansão Oceânica (Séculos XVI-XVII) https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6519 <p>https://doi.org/10.14195/2183-8925_37_15</p> Rita Fernanda do Vale Pinto Pedras ##submission.copyrightStatement## 2019-05-15 2019-05-15 37 333 339 [Recensão a] Luciano Aronnne de Abreu e Paula Borges Santos (orgs.), A era do corporativismo: regimes, representações e debates no Brasil e em Portugal https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6520 <p>https://doi.org/10.14195/2183-8925_37_16</p> Leonardo Aboim Pires ##submission.copyrightStatement## 2019-05-15 2019-05-15 37 339 342