O hedonismo de ver e de ser visto

a experiência festiva da selfie no ambiente esportivo

Palavras-chave: selfie, redes sociais, hedonismo, comunidade

Resumo

Este artigo propõe-se analisar como a selfie (um neologismo com origem no termo self-portrait, que significa autorretrato) e a posterior publicação dessas imagens nas redes sociais passaram a configurar uma prática corrente do indivíduo na contemporaneidade, numa pós-sociedade do espetáculo envolvida com a procura do prazer hedonista. Esse comportamento exibicionista em torno da exposição do “eu” ganhou novos contornos no meio do esporte, no qual espectadores e até atletas passaram a fazer uso da selfie como busca da satisfação em ver e ser visto, durante ou após o término das competições esportivas. Para compreender este fenômeno, realizamos uma revisão bibliográfica a respeito da selfie e, a partir de exemplos recentes que marcaram a cena esportiva nos últimos anos no Brasil e em Portugal, estabelecemos relações entre essa prática com os conceitos de comunidade, comunidade virtual e habitus (este tal como definido pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Ary José Rocco Junior, Universidade de São Paulo

Docente do Departamento de Esporte da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE/USP). Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

José Carlos Marques, Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do Departamento de Ciências Humanas da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Doutor em Comunicação pela Universidade de São Paulo (USP).

Pedro Lucas Leite Parolini, Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)

Mestre em Ciência pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE/USP). Professor do curso de Educação Física da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Publicado
2019-06-13