Porquê Editar a Marginalia Pessoana?

  • Maria do Céu Estibeira Universidade de Lisboa
Palavras-chave: Fernando Pessoa, Biblioteca Particular, Marginalia

Resumo

A edição da marginalia de Fernando Pessoa (considerada por muitos como um segundo espólio) assume-se como imprescindível no universo dos estudos pessoanos, podendo ser considerada como uma extensão da sua produção literária, ao mesmo tempo que é reveladora do seu “work-in-progress” enquanto poeta e ensaísta. O presente artigo pretende dar a conhecer algumas das especificidades da marginalia incluída na Biblioteca Particular de Fernando Pessoa, bem como apresentar algumas problemáticas e dificuldades inerentes à sua edição.

Abstract
The edition of Fernando Pessoa’s marginalia (considered by many as an additional literary estate) is very important in the universe of Pessoa’s criticism, as it can be part of the poet’s literary production, as well as revealing the poet’s “work in progress” as creator and critic. This article intends to present some details of the marginalia in the books that belonged to Fernando Pessoa’s Private Library. It also discusses the editorial difficulties and problems raised by the different types of marginalia.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.14195/2182-8830_1_1_4

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Maria do Céu Estibeira, Universidade de Lisboa

Maria do Céu Estibeira é doutorada em Estudos da Literatura e da Cultura – Variante Estudos Comparatistas , com a tese A Marginalia de Fernando Pessoa (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2008).Pós-Doutoranda em Estudos Comparatistas e membro do projeto de investigação “Estranhar Pessoa”. Participou em diversas conferências e publicou artigos em Portugal e no estrangeiro (por exemplo, “Uma perspectiva da marginalia de Fernando Pessoa” e “Da leitura de Milton e Whitman à estética de Álvaro de Campos”).

Referências

Coleridge, Samuel Taylor (1980). The Collected Works of Samuel Taylor Coleridge – Marginalia I. London: ed. George Whalley, Routledge & Kegan Paul.

Estibeira, Maria do Céu (2008). A Marginalia de Fernando Pessoa, Lisboa:Dissertação de Doutoramento apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Gago, Carla (2009). “Espelho de uma vida intelectual: A biblioteca de Friedrich Nietzsche. Paralelos com a biblioteca de Fernando Pessoa”, em Fernando Pessoa: O Guardador de Papéis, ed. Jerónimo Pizarro, Lisboa, Texto Editora, pp.135.

Jackson, H. J. (2001). Marginalia: Readers Writing in Books. New Haven: Yale University Press.

Publicado
2013-06-30
Como Citar
Estibeira, Maria do Céu. 2013. Porquê Editar a Marginalia Pessoana?. MATLIT: Materialidades Da Literatura 1 (1), 75-87. https://doi.org/10.14195/1629.
Secção
Secção Temática | Thematic Section