Stuff we love: Afeto, Presença e Materialidade no Design de Livros

  • Larissa Andrioli Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Materialidades da Literatura, Presença, Design gráfico, Design de Livros

Resumo

O presente artigo pretende discutir a materialidade do livro através do design gráfico. Parte de duas diferentes possibilidades de observação do objeto: o design emocional de Donald Norman (complementado pela teoria dos afetos de António Damásio) e a produção de presença de Hans Ulrich Gumbrecht. Para entender como as duas se relacionam entre si e como se podem aplicar ao livro, uma das seções do artigo centra-se numa descrição háptica de três obras. Contrastando um livro tradicional com dois livros cujo design explora a sua materialidade táctil, este artigo se propõe a entender de que forma a configuração física do livro influencia a nossa percepção da arte através da mobilização de afetos.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.14195/2182-8830_2-1_6

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Larissa Andrioli, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Formada em Letras - Português pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Mestranda em Literatura, Cultura e Contemporaneidade na PUC-Rio.

Referências

Cosac Naify. 18 Fev. 2014. http://www.cosacnaify.com.br/.

DAMÁSIO, Antonio (2004). Em Busca de Espinosa: Prazer e Dor na Ciência dos Sentimentos. São Paulo: Companhia das Letras.

DAMÁSIO, Antonio (2007). O Erro de Descartes: Emoção, Razão e o Cérebro Humano. São Paulo: Companhia das Letras.

FOER, Jonathan Safran (2010). Tree of Codes. London: Visual Editions.

FRAGA, Cláudia Trevisan (2008). A Construção da Identidade das Editoras pelas 1ªs capas. Dissertação de Mestrado. São Paulo: Departamento de Comunicação, PUC-SP. 26 Mar. 2014. http://www.sapientia.pucsp.br/tde_arquivos/1/TDE-2008-06-18T06:15:15Z-5692/Publico/Claudia%20Trevisan%20Fraga.pdf

GUMBRECHT, Hans Ulrich (2010). Produção de Presença: O que o Sentido Não Consegue Transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto/Ed. PUC-Rio.

GUMBRECHT, Hans Ulrich (2012). Graciosidade e Estagnação: Ensaios Escolhidos. Rio de Janeiro: PUC-Rio/Contraponto.

GUMBRECHT, Hans Ulrich (1994). “Rhythm and Meaning.” Materialities of Communication. Org. K. Ludwig Pfeiffer and Hans Ulrich Gumbrecht. Stanford, California: Stanford University Press. 170-182.

LITTAU, Karin (2008). “El Papel de los Afectos en la Crítica Literaria.” Teorías de la Lectura: Libros, Cuerpos y Bibliomanía. Buenos Aires: Manantial. 135-162.

KURLAND, Andrea. “Visual Editions – Defenders of Print, Part Three.” Entrevista a Anna Gerber e Britt Iversen. Huck Magazine. 10 Maio 2013. Web. 28 Fev. 2014. http://www.huckmagazine.com/art-and-culture/print/visual-editions/.

MELVILLE, Herman (2008). Bartleby, o Escrivão. São Paulo: Cosac Naify.

NEWLANDS, Mariana (2006). Bibliomania no Sistema Literário. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: Departamento de Letras, PUC-Rio. 26 Mar. 2014. http://www2.dbd.puc-rio.br/pergamum/tesesabertas/0410436_06_pretextual.pdf.

NORMAN, Donald A. (2008). Design Emocional: Por que Adoramos (ou Detestamos) os Objetos do Dia-a-Dia. Rio de Janeiro: Rocco.

SONTAG, Susan (2001). “Against Interpretation.” Against Interpretation and Other Essays. New York: Picador. 3-14, [1966].

SONTAG, Susan (2001). “One Culture and the New Sensibility.” Against Interpretation and Other Essays. New York: Picador. 293-304.

Visual Editions. 18 Fev. 2014. http://www.visual-editions.com/, [1966].

Publicado
2014-11-08
Secção
Secção Temática | Thematic Section