Experiências de Leitura Literária Digital por Leitores Jovens

Autores

  • Mônica Araújo Universidade Federal de Minas Gerais
  • Isabel Frade Universidade Federal de Minas Gerais

DOI:

https://doi.org/10.14195/2182-8830_6-2_13

Palavras-chave:

literatura digital, literatura digitalizada, leitores jovens, formação de leitores

Resumo

Neste artigo apresentamos um recorte dos resultados de uma pesquisa realizada com jovens brasileiros de 15 a 18 anos, pertencentes a estratos socioeconômicos diferenciados. Identificamos as formas de busca e de acesso às obras e as experiências de leitura literária digital, considerando que esta compreende a leitura de obras de literatura digital e digitalizada. Fundamentamos o nosso trabalho em estudos sobre a história do livro e da leitura, literatura juvenil, sociologia da leitura, multimodalidade e os gêneros digitais literários. Aplicamos um questionário a 342 jovens, um questionário semiaberto a 68 jovens, e acompanhamos as práticas de leitura literária digital de 6 leitores jovens por meio de entrevistas semiestruturadas. Os ambientes digitais de busca são diversos, mas nem sempre fáceis de serem conhecidos pelos leitores jovens. Para cada tipo de leitura literária digital existem formas específicas para acessá-las nos ambientes digitais que as disponibilizam.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BATISTA, Antonio Augusto Gomes, and Ana Maria de Oliveira Golvão (2011). “Práticas de Leitura, impres-sos, letramentos: uma introdução.” Leitura: Práticas, Impressos, Letramentos. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica. 11-47.

BOLTER, Jay David, and Richard Grusin (2000). Remediation: Understanding New Media. Cambridge: The MIT Press.

CHARTIER, Anne Marie (2016). “Os três modelos da leitura entre os séculos XVI e XXI: como as práticas sociais transformam os métodos de ensino.” Revista Brasileira de História da Educação. 16.1: 207-214.

CHARTIER, Roger (1997). A Ordem dos Livros. Transl. Leonor Graça. Lisboa: Passagens.

CHARTIER, Roger (1998). A Aventura do Livro: Do Leitor ao Navegador. Transl. Reginaldo Moraes. São Paulo: UNESP.

CHARTIER, Roger (2002). Os Desafios da Escrita. Transl. Leonor Graça.São Paulo: UNESP.

CHARTIER, Roger (2011). “Do Livro à Leitura.” Práticas de Leitura. Transl. Cristiane Nascimento. 5ª ed. São Paulo: Estação Liberdade.

COLOMER, Teresa (2003). Formação do Leitor Literário. Transl. Laura Sandroni. São Paulo: Global.

COLOMER, Teresa (2007). Andar entre Livros: A Leitura Literária na Escola. Transl. Laura Sandroni. São Paulo: Global.

DARNTON, Robert (2010). A Questão dos Livros: Passado, Presente e Futuro. Transl. Daniel Pelizzari. São Paulo: Companhia das Letras.

DIAZ-PLAJA, Ana (2008). “Entre Llibres: La constucció d’un itinerari lector propi en l’adolescència.” Lectures adolescents. Barcelona: GRAÓ. 117-147.

HAYLES, N. Katherine (2009). Literatura Eletrônica: Novos Horizontes para o Literário. Transl. Luciana Lhullier and Ricardo Moura Buchweitz. São Paulo: Global.

GOMEZ, Antônio Castilho (2014). Livros e leituras na Espanha no século de Ouro. Transl. Cláudio Giordano São Paulo: Ateliê Editorial.

JENKINS, Henry. (2009). Cultura da Convergência. Transl. Susana Alexandria. 2ª ed. São Paulo: Aleph.

LEVERATTO, Jean-Marc, and Mary Leontsini (2008). Internet et la sociabilité littéraire. Paris: Éditions de la
Bibliothéque publique de ínformation.

TORRES, Rui. (2007). “Poesia Experimental e ciberliteratura: por uma literatura marginalizada.” Poesia Experimental Portuguesa: Enquadramento Teórico e Contexto Crítico da PO.EX. Volume 1: 116-127. Porto: Imprensa da Universidade Fernando Pessoa. 20 de fevereiro de 2018. https://po-ex.net/evaluation/PDF/torres_flup.pdf.

##submission.downloads##

Publicado

2018-08-10

Como Citar

Araújo, Mônica, e Isabel Frade. 2018. «Experiências De Leitura Literária Digital Por Leitores Jovens». MATLIT: Materialidades Da Literatura 6 (2):185-99. https://doi.org/10.14195/2182-8830_6-2_13.

Edição

Secção

Secção Temática | Thematic Section