As conversações sobre o problema de Chipre, em Crans-Montana, Suíça (28.06 - 07.07.17), e a imprensa cipriota grega: as posições dos jornais Alithia, Politis e Haravgi

Palavras-chave: Agenda setting, imprensa cipriota grega, conversações de Crans-Montana, problema cipriota

Resumo

Este artigo trata o período de negociações entre a comunidade cipriota grega e a comunidade cipriota turca, que decorreu em Crans-Montana, na Suíça, entre 2 de junho a 7 de julho de 2017. Analisa-se as posições dos, então, três principais jornais cipriotas gregos, com o objetivo de apresentar as posições de cada um sobre as conversações acerca do problema cipriota, ao nível político. O estudo sobre Alithia, Politis e Haravgi partiu da ideia de que um acontecimento torna-se importante do ponto de vista jornalístico não só porque ele é inesperado ou dramático, mas, também, porque suscita o interesse da opinião pública, e encerra, em si, uma importância capaz de, por exemplo, suscitar no público debates intensos, tensões ou receios. As questões de investigação são: em que medida os jornais estavam a favor de uma solução do problema? Assumiram um tom conflitual ou reconciliador? Em que medida o estilo e o tom das informações dos três jornais sobre as negociações se diferenciaram entre si? O foco das informações foi sobre as pessoas ou os assuntos das negociações? Os artigos publicados eram ou não assinados? Os resultados sugerem que a imprensa cipriota grega confia na resolução negocial do problema cipriota. O objetivo principal desta pesquisa foi o de compreender os esforços desenvolvidos para resolver o problema cipriota, através das negociações na Suíça, e analisar as posições da imprensa cipriota no que se refere a esta questão espinhosa e crucial, na qual a República do Chipre agoniza há quarenta anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-06-04