Uma Análise Crítica da Revolução Cognitiva: Implicações Epistemológicas

  • Ederaldo José Lopes Universidade Federal de Uberlândia
  • Renata Ferrarez Fernandes Lopes Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

Este artigo apresenta um histórico da revolução cognitiva em psicologia, uma discussão crítica sobre ela e as implicações epistemológicas para o status científico da psicologia. Surgida na década de 50 e tendo o paradigma do processamento de informação como base, a psicologia cognitiva foi difundida como uma revolução científica, tal como proposta por T. Kuhn. Essa proposta se mostrou falsa, colocando dúvidas sobre a cientificidade da psicologia. Propõe-se o abandono da filosofia de Kuhn e a adoção do naturalismo normativo como uma saída frutífera para as psicologias.
  • Resumo visualizado = 269 vezes
  • PDF visualizado = 163 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-01-01
Como Citar
LOPES, Ederaldo José; LOPES, Renata Ferrarez Fernandes. Uma Análise Crítica da Revolução Cognitiva: Implicações Epistemológicas. Psychologica, [S.l.], n. 50, p. p. 7-19, jan. 2009. ISSN 1647-8606. Disponível em: <https://impactum-journals.uc.pt/psychologica/article/view/967>. Acesso em: 21 maio 2019.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Psicologia Cognitiva; Paradigma; Revolução Científica; Revolução Cognitiva; Naturalismo Normativo