De caos sistêmico e de crise civilizatória: tensões territoriais em curso

Palavras-chave: Caos sistêmico, ruptura metabólica, antropoceno/capitaloceno, território-territorialidade-territorialização.

Resumo

Nesse artigo refletimos sobre o atual momento histórico-civilizatório que vivemos. Trata-se de um período histórico em crise, mas de uma crise que vai além da crise do capitalismo enquanto crise civilizatória. Trata-se de um período de caos sistêmico ou de crise de um padrão de poder/saber que nos governa há 500 anos. Portanto de uma crise de larga duração. As bases em que se sustentavam esse padrão de poder/saber – a dominação da natureza e de todos os grupos sociais que à natureza são assimilados – os indígenas/selvagens, os negros, as mulheres, os que operam com as mãos sejam proletários ou camponeses – começam a ser abertamente questionados por aqueles que, apesar de lutarem a mais de 500 anos, só agora pós 1950/1960 começam a ter voz. Reinventam, assim, suas relações com a natureza e a cultura, com o conceito de território desnaturalizando-o. Assim, diante de um dos mais intensos processos expropriatórios que a humanidade jamais viveu, como nos últimos 50 anos, emergem outras referências teórico-políticas sinalizando que estamos diante de outros horizontes de sentido não eurocêntricos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Arrighi, G. (1994). O Longo Século XX. Contraponto/Unesp, São Paulo.

Bambirra, V. (2012). O Capitalismo dependente latino-americano. Editora Insular - IELA, Florianópolis.

Benjamim, W. (1985). Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas, v. 1. 1 ed. Trad. Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense.

Castoriadis, C. (1982). A Instituição Imaginária da Sociedade. Ed. Paz e Terra, São Paulo.

Cesaire, Aimé (2006 [1956]) Carta a Maurice Thorez. In Césaire Aimé, Discurso sobre el colonialismo. Akal Ediciones, Col. Cuestiones de antagonismo, Madrid, 77-84.

Commoner, B. (1992). En paz con el planeta. Barcelona: Crítica, Drakontos.

Escobar, Arturo (1996). La Invención del Tercer Mundo: Construcción y Deconstrucción del Desarrollo. Norma ed., Santa Fé de Bogotá.

Estermann, J. (2006). Filosofía andina: sabiduría indígena para un mundo nuevo. La Paz, ISEAT, 2ª edição.

Fals Borda, O. (Org.). (1998). Participación popular: retos del futuro. ICFES/IEPRI/COLCIENCIAS, Bogotá.

Fanon, F. (2005 [1961]). Os Condenados da Terra. Ed. UFJF, Juiz de Fora, Minas Gerais.

Foladori, G. (2005). Degradação ambiental no capitalismo e no socialismo. Outubro: Revista de Estudos Socialistas, N. 13.

Foucault, M. (2000). A Palavra e as Coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Ed. Martins Fontes, São Paulo.

Frank, A. G. (2009). ReOriente. Economía global en la Era Asiática. Conclusiones historiográficas e implicaciones teóricas. In Revista Crítica y Emancipación, (2): 95-140, primer semestre 2009. Ed. Clacso, Buenos Aires.

Freire, P. (1997). Pedagogia da Autonomia. Ed. Paz e Terra. Rio de Janeiro.

González Casanova, P. (2006). “O Colonialismo Interno”. In Borón, Atílio. Marxismo Hoje. Clacso, São Paulo/Buenos Aires.

Gorz, A. (2001). Critica da Divisão do Trabalho (coletivo). Martins Fontes, São Paulo.

Guatarri, F. e Rolnik, S. (2000). Micropolítica: cartografias do desejo. 6. ed. Petrópolis: Editora Vozes.

Hobsbawn, Eric (2008). Nações e Nacionalismo desde 1780. Ed. Paz e Terra, São Paulo.

James, C. R. L. (2007 [1938]). Os Jacobinos Negros. Ed. Boitempo, São Paulo.

Lafont, R. (1971 [1967]). La revolución regionalista. Barcelona: Ed. Ariel.

Marques, L.(2015). Capitalismo e Colapso Ambiental, Ed. Cia das Letras. São Paulo.

Marini, R. M. (1973). Dialéctica de la dependencia, México D.F., Ediciones Era.

Martensen, R. (1998). A transformação de Eva: Os corpos das mulheres, medicina e cultura no início da Inglaterra moderna. In: Conhecimento Sexual, Ciência Sexual: A História das Atitudes em Relação à Sexualidade (R. Porter & M. Teich, org.), São Paulo: Editora UNESP, 133-164.

Mattick, P. (1977). Integração Capitalista e Ruptura Operária. Ed. Regra do Jogo, São Paulo.

Mignolo, W. (2001. Histórias Locais. Projetos Globais. Ed. UFMG, Belo Horizonte.

Monte-Mór, R. L. (2006). O que é urbano no mundo contemporâneo. In Revista Paranaense de Desenvolvimento, n.º 111, jul-dez 2006. IPARDES, Curitiba.

Oliveira, B. J. D. (2002). Francis Bacon e a fundamentação da ciência como tecnologia. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Panikkar, R. (2004). Seria a noção de direitos humanos um conceito ocidental. Direitos humanos na sociedade cosmopolita. Rio de Janeiro: Renovar, 205-238.

Pires, B. T. (2008). A Presença de Francis Bacon na Enciclopédia (Dissertação de Mestrado em História da Filosofia). Apresentada ao Departamento de Filosofia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas.

Pomeranz, K. (2013). A Grande Divergência. A China, a Europa e a Formação da Economia Mundial Moderna. Lisboa, Edições 70.

Porto-Gonçalves, C. W. (2001). Da Geografia às geo-grafias: um mundo em busca de novas territorialidades. In: Ceceña, A. E. y Sader, E. (Coords.) La Guerra Infinita: hegemonía y terror mundial. Buenos Aires, Clacso, 2001.

Quijano, A. (2005). Dom Quixote e os moinhos de vento na América Latina. Revista Estudos Avançados. Dossiê América Latina. Vol.19 no.55. São Paulo Set./Dez.

Santos, T. dos (1978). Imperialismo y dependência. Ed. Era, México.

Shanin, T. (2016). Marx tardio e a via russa – Marx e as periferias do capitalismo. Ed. Expressão Popular, Rio de Janeiro.

Svampa (2017). Debates latinoamericanos: indianismo, desarrollo, dependencia, populismo (1ª edición). Edhasa.

Thompson, E. (1983). A Miséria da Teoria, Rio de Janeiro, Zahar ed.

Thompson, E. (1985) Exterminismo e Guerra Fria. Ed. Brasiliense, São Paulo.

Wallerstein, I. (2006). Impensar as Ciências Sociais. Editora Ideias e Letras, São Paulo.

Wilshire (1997). Os Usos do Mito, da Imagem e do Corpo da Mulher na Re-Imaginação do Conhecimento. In Género, corpo, conhecimento. Jaggar, Alison M. e Bordo, Susan R. [editoras]. Rio de Janeiro: Record: Rosa dos Tempos, 1997.

Publicado
2020-09-10