Risco de incêndio na zona do mediterrâneo do chile: um caso de perturbação ambiental permanente

  • Víctor Quintanilla Departamento Ingeniería Geográfica Universidad Santiago de Chile (USACH)
Palavras-chave: Bosque esclerófilo, incêndios, Jabaea chilensis

Resumo

A zona mediterrânea do Chile localiza-se aproximadamente entre os 31º e 38º de latitude sul, nela se encontrando a maior parte da população do país. Por esta pressão humana e também pelo clima seco, de apenas quatro meses de chuva e o resto do ano quente e seco, verificam-se condições favoráveis à ocorrência de incêndios florestais. Um bosque nativo específico desta zona é o bosque esclerófilo. Analisa-se um sector de colinas costeiras situado à volta dos 33º de latitude sul, onde existe um bosque esclerófilo de tipo húmido, junto ao qual vive a palmeira mais austral do mundo e endémica do Chile – Jubaea chilensis (Mol.) Baillon. Este relevo foi afectado desde 1962 por reiterados impactos de incêndios florestais. Isto alterou a regeneração e permanência deste bosque húmido no Chile central, como igualmente vai pondo em perigo o habitat da palmeira chilena.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-08-12
Secção
Artigos