Rendimentos de água na cabeceira fluvial do rio Douro: relação com a variabilidade climática e as mudanças na cobertura vegetal

  • Antonio Ceballos Universidade de Coimbra
  • Enrique Morán Tejeda Departamento de Geografía. Universidad de Salamanca (España)
  • José Manuel Llorente Pinto Departamento de Geografía. Universidad de Salamanca (España)
Palavras-chave: Contribuições hídricas, variabilidade climática, mudanças no bosque, rio Douro.

Resumo

Neste trabalho analisam-se as mudanças ocorridas na evolução temporal dos caudais e do regime hídrico na cabeceira fluvial do rio Douro e a sua relação com a tendência das temperaturas, precipitações e superfície ocupada pelo bosque. Os resultados mostram um decréscimo significativo nas contribuições hídricas anuais devido à marcada redução das contribuições entre os meses de Fevereiro e Setembro, com um aumento substancial do número de dias por ano com caudal inferior à terça parte do caudal diário médio anual (“regime de águas baixas”). A boa correlação entre precipitações e contribuições anuais (R=0,72, valor-p < 0,001) e a ausência de qualquer tendência na análise dos resíduos provam que o avanço moderado da superfície florestal durante as últimas décadas de momento não é suficiente para influir de maneira determinante na redução de aportes registada. Não obstante, a falta de correspondência entre as tendências mensais de precipitações e contribuições e a destacável subida das temperaturas sugerem um aumento do consumo de água por parte do bosque que muito provavelmente afecte de forma claramente perceptível as contribuições anuais da bacia a curto-médio prazo. Finalmente, a diminuição das precipitações e as mudanças ocorridas na sua repartição intra-anual afectaram o regime do rio, que passou de um máximo invernal da carácter pluvial a um regime bimodal com um pico principal no Inverno e outro secundário na Primavera. Esta

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2008-08-25
Secção
Artigos