Uma análise comparativa das políticas de incêndios florestais em áreas protegidas em Portugal e no estado de Santa Catarina (Brasil): uma abordagem geral

  • Fantina Tedim Universidade de Coimbra
  • Maria Lúcia de Paula Herrmann Departamento de Geociências, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: Áreas protegidas, risco de incêndio florestal, áreas ardidas.

Resumo

Dados recentes sugerem que Portugal e Brasil têm visto um aumento no número de incêndios florestais em áreas protegidas. Em Portugal, entre 1992 e 2003 a média anual de área ardida em áreas protegidas foi de 10 418 há e no período 2001-2005 de 16 025 ha. No Brasil, todavia, o Estado de Santa Catarina apresentou um decréscimo no número de incêndios. Com base nestes factos, os objectivos principais da presente investigação são: analisar a incidência, a severidade e as causas dos incêndios florestais em áreas protegidas em ambos os Estados e estudar os impactos das políticas de prevenção e combate, bem como as estratégias e modelos implementados na recuperação das áreas ardidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-08-26
Secção
Artigos