Intervenções de defesa costeira – balanço e perspetivas futuras

Palavras-chave: Zona costeira, erosão, investimentos de defesa costeira, alimentação artificial

Resumo

A costa portuguesa encontra-se, em significativa extensão, afetada por sérios problemas erosivos. O presente trabalho analisa as intervenções de defesa costeira que foram efetuadas para fazer face a esses problemas, apresentando um balanço de tais intervenções, bem como perspetivas para o futuro. Nos últimos anos, registou-se uma alteração de paradigma no que se refere à tipologia das intervenções de defesa costeira, com o crescente aumento do número de intervenções de proteção “suave”, nomeadamente alimentações artificiais de praia. Estas intervenções são executadas no âmbito de vários Planos de Ação, nomeadamente o Plano de Ação Litoral XXI, que constitui a base para uma adequada gestão da orla costeira, para cuja otimização se torna necessária a monitorização do comportamento da faixa litoral e dos impactos das intervenções já realizadas e do respetivo grau de eficácia, contribuindo para um litoral mais sustentável, resiliente, seguro e ambientalmente mais equilibrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Andrade, C., Rodrigues Bizarro, A., Pinto, C., Taborda, R., Couto, A., Portela, L., Pina, C., Ramos, L., Rodrigues, A., Terrinha, P., Brito, P., Caldeirinha, V. e Santos-Ferreira, A. (2015). Grupo de Trabalho dos Sedimentos - Relatório Final. Relatório não publicado, 31 p.

APA (2017). Plano de Ação Litoral XXI. Disponível em: https://sniambgeoviewer.apambiente.pt/GeoDocs/geoportaldocs/Litoral/Plano_Acao_Litoral_XXI_v13032019.pdf

APA (2016). Relatório do Estado do Ambiente. Lisboa, 223 p.

Carmo, F. (2009). Planos de Ordenamento da Orla Costeira. Balanço e perspectivas. Tágides, 5, 35-40.

Dias, J., Monteiro, J. e L. Gaspar, L. (1980). Potencialidades em cascalhos e areias da plataforma continental portuguesa. Com. Serv. Geol. Portugal, 66, 227-240.

Ferreira, Ó., Garcia, T., Matias, A., Taborda, R. and Dias, J. (2006). An integrated method for the determination of set-back lines for coastal erosion on sandy shores, Continental Shelf Research, 26, 1030-1044.

Lira, C., Silva, A., Taborda, R. and Andrade, C. (2016). Coastline evolution of Portuguese low-lying sandy coast in the last 50 years: an integrated approach, Earth Syst. Sci. Data, 8, 265-278.

Magalhães, F. (2001). A cobertura sedimentar da plataforma continental portuguesa. Distribuição espacial. Contrastes temporais. Potencialidades económicas. Doc. Técnico Inst. Hidrográfico, 34, 287 p.

Magalhães, F. (2003). Aggregate deposits in the portuguese continental shelf. Thalassas, 19, 23-31.

MAOTDR - Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional (2008). Litoral 2007-2013: Avaliação dos Planos de Ordenamento da Orla Costeira e Proposta de Atuação. Lisboa, 190 p.

Pinto, C., Silveira, T., Taborda, R., Andrade, C. e Freitas, C. (2013). Reavaliação de faixas de risco em litoral baixo e arenoso: aplicação ao setor de São João da Caparica (Costa da Caparica – Portugal). 2ª Conferência sobre morfodinâmica estuarina e costeira. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/317579668_Reavaliacao_de_faixas_de_risco_em_litoral_baixo_e_arenoso_aplicacao_ao_setor_de_Sao_Joao_da_Caparica_Costa_da_Caparica_-_Portugal

Pinto, C. (2016). Coastal erosion and sediment management in Portugal. CEDA Iberian Conference - Dredging for Sustainable Port Development. https://www.researchgate.net/publication/317579925_Coastal_erosion_and_sediment_management_in_ Coastal erosion and sediment management in Portugal.

Pinto, C., Silveira, T. e Teixeira, S. (2018). Alimentação artificial de praias na faixa costeira de Portugal continental. Enquadramento e retrospetiva das intervenções realizadas (1950-2017). Relatório Técnico. Agência Portuguesa do Ambiente, 61 p.

Santos, F.D., Lopes, A.M., Moniz, G., Ramos, L. e Taborda, R. (2014). Gestão da Zona Costeira. O desafio da mudança. Relatório não publicado, 237 p.

Seixas, L. (2014). Avaliação do desempenho das políticas de defesa costeira: Obras de Defesa Costeira de 1995 a 2014. Contributo para o Sistema de Administração do Recurso Litoral (SIARL) (Dissertação de mestrado). Faculdade de Ciências e Tecnologia da Univ. Nova de Lisboa, Lisboa, 53 p. + anexos.

Silveira, T., Carapuço, M. Pinto, C., Taborda, R., Andrade, C., Sousa, H., Freitas, C., Marques, F., Antunes, C., Matildes, R., Orlando, M. e Lira, C. (2012). Criação e implementação de um sistema de monitorização para o litoral arenoso na área de jurisdição da Administração da Região Hidrográfica do Tejo. 2.as Jornadas de Engenharia Hidrográfica. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/255950463_Criacao_e_implementacao_de_um_sistema_de_monitorizacao_para_o_litoral_arenoso_na_area_de_jurisdicao_da_Administracao_da_Regiao_Hidrografica_do_Tejo

Taborda, R., Magalhães, F. e Ângelo, C. (2005). Evaluation of Coastal Defence Strategies in Portugal. In Zimmermam, C., Dean, R.G., Penchev, V. e Verhagen, H. J. (eds) – Environmentally Friendly Coastal Protection. NATO Science Series (Series IV: Earth and Environmental Series), vol 53. Springer, Dordrecht, 255-265.

Publicado
2020-01-22