Há algo de novo nos incêndios florestais? Ou as perplexidades de um leitor atento

  • António Betâmio de Almeida Departamento de Engenharia Civil, Arquitectura e Georrecursos Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa (Portugal) http://orcid.org/0000-0003-2614-1234
Palavras-chave: Incêndio florestal, risco, vulnerabilidade, comunicação social, percepção social

Resumo

Os (grandes) incêndios que ocorreram em Portugal, em 2017, refletem uma alteração no risco e na percepção do risco de incêndios florestais? Houve sempre incêndios nas florestas no sentido de fogos fora de controlo. Mas será que os incêndios que ocorreram em Portugal entre 17 e 24 de Junho e entre 14 e 16 de Outubro assinalam um padrão diferente nas respectivas causas e propagação, intensidades, consequências e enquadramento social e político? Quais serão os impactos na percepção pública da segurança ou do risco? O autor procura nos media nacionais e internacionais e em relatórios técnicos respostas a estas perguntas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Alexander, D. (2012). Models of Social Vulnerability to Disasters. RCCS Annual Review (online), nº4 (October), p. 22-40. Online desde 1 de Outubro de 2012. DOI: https://doi.org/10.4000/rccsar.412

ANPC - Autoridade Nacional de Proteção Civil (2017). Relatório Final. Carnaxide, 133 p. + 5 (Anexos).

Beighley, M. e Hyde, A.C. (2018). Gestão de Incêndios Florestais em Portugal numa Nova Era. Avaliação dos Riscos de Incêndio, Recursos e Reformas. Relatório elaborado com a cooperação e apoio de The Navigator Company, 59 p. URL: https://www.isa.ulisboa.pt/files/cef/pub/articles/2018-04/2018_Portugal_Wildfire_Management_in_a_New_Era_Portuguese.pdf

Betâmio de Almeida, A. (2011). Risco e gestão do risco. Questões filosóficas subjacentes ao modelo técnico conceptual. Territorium, (18), 23-31. URL:

http://impactum-journals.uc.pt/territorium/article/view/3096

Betâmio de Almeida, A. (2018). Science for disaster risk management 2017. Knowing better and losing less. Territorium, (25 (I)), 155-165. URL: http://impactum-journals.uc.pt/territorium/article/view/4840.

Camargo, J. e Pimenta de Castro, P. (2018). Portugal em Chamas, Bertrand Editora, Lisboa,158 p.

Comissão Europeia – UE (2017). Science for Disaster Risk Management 2017, Publications Office of the EU, Luxemburgo, 551 p.

CTI - Comissão Técnica Independente (2017). Análise e apuramento dos factos relativos aos incêndios que ocorreram em Pedrogão Grande (e outros), entre 17 e 24 de Junho de 2017, Assembleia da República, Lisboa, 182 p. e Anexos.

CTI - Comissão Técnica Independente (2018). Avaliação dos incêndios ocorridos entre 14 e 16 de Outubro de 2017 em Portugal Continental, Assembleia da República, Lisboa, 274 p.

Ferreira-Leite, F., Bento-Gonçalves, A. e Lourenço, L. (2011/12). Grandes incêndios florestais em Portugal Continental. Da história recente à atualidade, Cadernos de Geografia, nº30/31, Coimbra (FLUC), 81-86.

GNR - Guarda Nacional Republicana (2017). Processo de Inquérito nº06/17, Relatório Final, Lisboa, 13 p.

ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (2017a). Mapa das Medidas de estabilização de emergência CABEÇAS, FIGUEIRÓ, GÓIS, PEDRÓGÃO e PENELA- concelhos: Alvaiázere, Ansião, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa, Pedrógão Grande, Penela e Sertã. http://www2.icnf.pt/portal/florestas/dfci/relat/raa/ree-2017

ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (2017b). 10.º Relatório Provisório de Incêndios Florestais - 2017 - 01 de janeiro a 31 de outubro. Departamento de Gestão de Áreas Públicas e de Proteção Florestal, 19 p.

Lourenço, L. (2011). Forest Fires in Portugal. In Bento-Gonçalves, A. e Vieira, A. (eds)- Field trip guidebook:3rd International meeting of Fire Effects on soil Properties. Núcleo de Investigação em Geografia e Planeamento da Universidade do Minho, 20-27.

Lourenço, l. (2007). Incêndios florestais de 2003 e 2005. Tão perto no tempo e já tão longe na memória. Riscos Ambientais e Formação de Professores. Coimbra (NICIF), 19-91.

Lourenço, L., Betâmio de Almeida, A. (2018). Alguns conceitos à luz da teoria do risco. Riscos e Crises. Da teoria à plena manifestação, volume VI da Série Riscos e Catástrofes, 17-77.

Louro, V. (2016). A Floresta em Portugal. Um apelo à inquietação cívica, Gradiva, Lisboa, 268 p.

Rebelo, F. (2010). Geografia Física e Riscos Naturais, Imprensa da Universidade de Coimbra, Coimbra, 215 p.

Viegas, D. (2017). O Complexo de Incêndios de Pedrógão Grande e Concelhos Limítrofes, Iniciado a 17 de Junho de 2017, Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais, Universidade de Coimbra, Coimbra, 238 p.

WWF/Adena (2018). O barril de pólvora do noroeste. Proposta ibérica para a prevenção de incêndios. WWF Espanha e ANP/WWF Portugal, Madrid, 22 p. URL: http://awsassets.panda.org/downloads/relatorio_anpwwf___o_barril_de_polvora_do_noroeste_2018.pdf

Publicado
2018-11-14