Empowerment em profissionais de saúde: Uma revisão da literatura

  • Carla Maria Santos de Carvalho Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Ana Lau Gouveia Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Carlos Américo Barreira Pinto Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Lisete dos Santos Mendes Mónico Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
  • Miguel Maltieira Fernandes Correia Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa
  • Pedro Miguel Santos Dinis Parreira Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

Resumo

Objetivos: Revisão de estudos que permitam compreender a influência do empowerment estrutural na adoção de comportamentos de mobilização e a ocorrência de eventos adversos associados aos cuidados da saúde. Método: Foi realizada uma revisão da literatura usando palavras-chave específicas e aplicando critérios de inclusão/exclusão. Consideraram-se artigos de diferentes bases de dados, publicados entre 1996 e 2012, os quais foram analisados quanto à presença de eventos adversos, empowerment e mobilização, e classificados em função dos critérios empírico/teórico, local do estudo, amostra, medidas e resultados. Resultados: A literatura sobre esta área é extensa, sendo a maioria dos estudos de natureza empírica. O empowerment estrutural gera resultados positivos no trabalho; estes resultados referem-se a um aumento da satisfação no trabalho, do comprometimento organizacional, bem como a adoção de comportamentos inovadores e uma redução do burnout e do turnover. Alguns artigos sugerem que o empowerment tem uma influência positiva na segurança do paciente, traduzindo-se numa redução dos eventos adversos, e na adoção de comportamento de mobilização pelos profissionais de saúde. Conclusão: Uma cultura de empowerment e mobilização tem efeitos positivos em organizações de saúde, podendo contribuir para uma melhoria da segurança e da qualidade dos cuidados prestados aos pacientes e uma diminuição da ocorrência de eventos adversos.

Palavras-chave

empowerment, empowerment estrutural, cuidados com pacientes, mobilização, eventos adversos

  • Resumo visualizado = 56 vezes
  • PDF visualizado = 64 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-13
Como Citar
SANTOS DE CARVALHO, Carla Maria et al. Empowerment em profissionais de saúde: Uma revisão da literatura. Psychologica, [S.l.], v. 60, n. 2, p. 45-63, dez. 2017. ISSN 1647-8606. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/psychologica/article/view/4844>. Acesso em: 12 dez. 2018.
Secção
Artigos