Notários do Tribunal da Inquisição no Arquivo da Universidade de Coimbra (1536-1755): Património e rendimentos para obtenção de ordens eclesiásticas

  • Leonor Dias García Universidade de Évora

Resumo

Este trabalho é uma primeira abordagem às raízes socioeconómicas dos notários da Inquisição (ou notários do Secreto), entre os anos de 1536 e 1755. O seu principal objetivo é conhecer os níveis globais de rendimento destes agentes no momento em que se habilitaram para o Santo Ofício.
Para isso, consultaram-se as suas habilitações de genere para ordenação sacerdotal, com os respetivos instrumentos de dote e património, existentes no Arquivo da Universidade de Coimbra. Pretende-se, assim, responder às seguintes questões: com que património receberam, os futuros notários, ordens sacras? Dependeram de outrem para constituírem os seus dotes? Poder-se-iam desenvolver redes de influência ou de sociabilidade com base nesses patrimónios?
O estudo desta pequena amostra permitiu concluir que quando chegavam ao Santo Ofício estes indivíduos não eram ricos, mas viviam sem constrangimentos.

Palavras-chave

Santo Ofício; notário; património

  • Resumo visualizado = 12 vezes
  • PDF visualizado = 12 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-06-14
Como Citar
GARCÍA, Leonor Dias. Notários do Tribunal da Inquisição no Arquivo da Universidade de Coimbra (1536-1755): Património e rendimentos para obtenção de ordens eclesiásticas. Boletim do Arquivo da Universidade de Coimbra, [S.l.], v. 32, n. 1, p. 9-38, jun. 2019. ISSN 2182-7974. Disponível em: <https://impactum-journals.uc.pt/boletimauc/article/view/6651>. Acesso em: 26 jun. 2019.
Secção
Estudos