Tourism, cartography and image

the meanings of the maps and the construction of narratives about the tourist spaces in Rio de Janeiro

Keywords: Rio de Janeiro, Tourism, Maps, Semiology

Abstract

The purpose of this article is to understand how the narratives about the tourist spaces of the city of Rio de Janeiro were constructed from the maps and their meanings. It reflects on the images of the city from its cartographic representations from 1923, when the first specifically tourist map of the city is made. It seeks to identify from a semiological analysis, the elements that helped to constitute certain imaginary of the city that currently occupy a larger plot of representations and spatial and cultural products that establish Rio de Janeiro as main tourist destination of Brazil.

Downloads

Download data is not yet available.

References

Abreu, M. (1988). Evolução urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: IPP.

Alfonso, L. (2006). Embratur: formadora de imagens da nação brasileira (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Amâncio, T. (2000). O Brasil dos gringos: imagens no cinema. Niterói: Intertexto.

Barickman, B. (2009). “Passarão por mestiços”: o bronzeamento nas praias cariocas, noções de cor e raça e ideologia racial, 1920-1950. Revista Afro-Ásia, 40, 173-221.

Barickman, B. (2014). Not many flew down to Rio: tourism and the history of beach-going in twentieth-century Rio de Janeiro. Journal of Tourism History, 6(2-3), 223-241.

Barickman, B. (2016). Medindo maiôs e correndo atrás de homens sem camisa: a polícia e as praias cariocas, 1920-1950. Rio de Janeiro: Recorde, 9(1), 1-66.

Berdoulay, V. (2012). Espaço e Cultura. In I. E. Castro, P. C. C. Gomes, & R. L. Corrêa (Orgs.), Olhares Geográficos: modos de ver e viver o espaço (pp. 101-131). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Bertin, J. (1967). Semiologie graphique: les diagrammes, les reseaux, les cartes. Paris: Ecole Hautes Etudes en Sciences Sociale.

Casco, A. C. (2009). Rio de Janeiro: uma cidade tra(duz)ída pelos mapas. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional.

Castro, C. (1999). Narrativas e imagens do turismo no Rio de Janeiro. In G. Velho (Org.), Antropologia urbana: Cultura e sociedade no Brasil e Portugal (pp. 80-87). Petrópolis: Vozes.

Durand, G. (1979). A imaginação simbólica. Lisboa: Arcádia.

Eleutério, C., & Cavalcanti, V. (2009). A construçao da identidade da mulher brasileira a partir do enfoque do turismo sexual na Bahia: permissivas, pecadoras e sensuais? Naveg@ merica, 2.

Fernandes, U. S. (2006). A natureza monumental do Copacabana Palace (Dissertação de Mestrado). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Ferreira, L. F. G., & Godoy, K. E. (2016). Paisagem guiada: representação imagética das favelas cariocas nos guias visuais do turismo. Cadernos de Geografia, 36, 93-102. https://doi.org/10.14195/0871-1623_35_8.

Freire-Medeiros, B. (2009). Gringo na laje: produção, circulação e consumo da favela turística. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Freire-Medeiros, B., & Castro, C. (2013). Destino: Cidade Maravilhosa. In C. Castro, V. L. Guimarães, & A. M. Magalhães (Orgs.), História do Turismo no Brasil (pp. 13-36). Rio de Janeiro: Editora FGV.

Gomes, M. S. (2011). O marketing turístico e o reposicionamento da imagem do Brasil no mundo: uma análise do Plano Aquarela da Embratur. Tourism & Management Studies, 1, 579-588.

Gomes, M. S. (2012). A imagem do Brasil no exterior e o turismo: a operacionalização do Plano Aquarela em Portugal. Rosa dos Ventos - Turismo e Hospitalidade, 4(4).

Gomes, P. C. C. (2008). Cenários para a Geografia: sobre a espacialidade das imagens e suas significações. In Z. Rosendahl, & R. L. Corrêa (Orgs), Espaço e Cultura: Pluralidade Temática (pp. 187-209). Rio de Janeiro: EdUERJ.

Gomes, P. C. C. (2012). Espaços públicos: um modo de ser do espaço, um modo de ser no espaço. In I. E. de Castro, P. C. C. Gomes, & R. L. Corrêa (Orgs.), Olhares geográficos: modos de ser e viver o espaço (pp. 19-41). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Gomes, P. C. C. (2013). O lugar do olhar: elementos para uma geografia da visibilidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Gomes, P. C. C. (2017). Quadros Geográficos: uma forma de ver, uma forma de pensar. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Gomes, P. C. C., & Ribeiro, L. P. (2013). A produção de imagens para a pesquisa em Geografia. Espaço e Cultura, 33, 27-42.

Hall, S. (1997). Introduction. In S. Hall (Ed.), Representation: Cultural Representations and Signifying Practices (pp. 1-11). London: Sage.

Harley, B. (1988). Maps, knowledge and power. In D. Cosgrove, & S. Daniels (Eds.), The iconography of landscape (pp. 277-312). Cambridge: University of Crambridge Press.

Harley, B., & Woodward, D. (1987). The history of cartography: cartography in prehistoric, ancient and medieval Europe and the Mediterranean. Chicago, Londres: The University of Chicago Press.

Machado H. C. (2000). A construção social da praia. Revista Sociedade e Cultura I. Cadernos do Nordeste, 13(1), 201-218.

Machado, M. B. T. (2008). A modernidade no Rio de Janeiro: construção de um cenário para o turismo. Rio de Janeiro: Secretaria das Culturas.

Mauad, A. (2005). Na mira do olhar: um exercício de análise da fotografia nas revistas ilustradas cariocas, na primeira metade do século XX. Anais do Museu Paulista, 13(1), 133-174. https://doi.org/10.1590/S0101-47142005000100005.

O’Donnell, J. (2011). Um Rio atlântico: culturas urbanas e estilos de vida na invenção de Copacabana (Tese de Doutorado em Antropologia - Museu Nacional, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

O’Donnell, J. (2013). A invenção de Copacabana: culturas urbanas e estilo de vida no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Zahar.

Woodward K. (2012). A identidade e a diferença: uma introdução conceitual. In T. T. Silva (Org.), S. Hall, & K. Woodward, Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais (pp. 7-72). Petrópolis: Vozes.

Published
2020-06-30