Os “álbuns despenteados” em Esse cabelo de Djaimilia Pereira de Almeida

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14195/2182-8830_9-1_11

Palavras-chave:

fototexto, escrita autobiográfica, literatura portuguesa contemporânea, Djaimilia Pereira de Almeida

Resumo

Neste artigo, analiso a relação entre texto e fotografia na obra Esse cabelo de Djaimilia Pereira de Almeida a partir da interdependência entre a forma literária híbrida em que a obra se apresenta, a procura identitária da voz narradora e protagonista, e o procedimento de representação que chama em causa a fotografia. Se, por um lado, é verdade que o género da escrita autobiográfica desde cedo se tem acompanhado às referências fotográficas, mais ou menos materiais, e por outro que tal género adquire particular relevância no contexto da chamada ‘literatura diaspórica’, na obra da escritora afro-portuguesa as três dimensões entrecruzam-se de uma forma não previsível, o que a resgata de fáceis categorizações e permite lê-la sob a luz dos estudos interartes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de (2018). Luanda, Lisboa, Paraíso. Lisboa: Companhia das Letras.

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de (2019). Pintado com o pé. Lisboa: Relógio d’Água.

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de (2020). Esse cabelo. 4.ª ed. Lisboa: Relógio d’Água.

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de (2021). “Entrevista com Djaimilia Pereira de Almeida”. Língua-Lugar: literatura, história, estudos culturais 1.2: 174-183. DOI: 10.34913/journals/lingualugar.2020.e427.

ALMEIDA, Djaimilia Pereira de, Humberto Brito (2020). Regras de isolamento. Vida ao redor do centro. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

BARTHES, Roland (1980). La chambre claire. Note sur la photographie. Paris: Éditions Gallimard; Éditions du Seuil.

BENJAMIN, Walter (2003). Opere complete. Vol. 5, Scritti 1932-1933. Ed. Enrico Ganni. Torino: Einaudi.

BENJAMIN, Walter (2006). Opere complete. Vol. 7, Scritti 1938-1940. Ed. Enrico Ganni. Torino: Einaudi.

BENJAMIN, Walter (2013). Rua de mão única / Infância berlinense: 1900. Ed. e tr. João Barrento. Belo Horizonte; São Paulo: Autêntica Editora.

BLATT, Ari J. (2009). “The interphototextual dimension of Annie Ernaux and Marc Marie’s L’usage de la photo”. Word and Image 25.1: 46-55. DOI: 10.1080/02666280802047711.

BRESSANE, Ronaldo (2016). “Prosa indomável”. Revista Cult. 7 abr 2016. https://ronaldobressane.com/2016/04/07/prosa-indomavel/ [31 março 2021].

BRITTO, Milena (2018). “Narrar a si mesmo e rasurar o cânone: feminismos e literatura contemporânea”. Literatura, estética e revolução. Eds. Adriana de Fátima Barbosa Araújo, e Susana Souto Silva. Brasília: Universidade de Brasília. 41-52.

CESERANI, Remo (2011). L’occhio della Medusa. Fotografia e letteratura. Torino: Bollati Boringhieri.

FANON, Frantz (2008). Pele negra, máscaras brancas. Trad. Renato da Silveira. Salvador: EdUFBA.

FERREIRA, Patrícia Martinho (2020). Órfãos do Império. Heranças coloniais na literatura portuguesa contemporânea. Lisboa: ICS. Imprensa de Ciências Sociais.

GONÇALVES, Bianca Mafra (2019). “Existe uma literatura negra em Portugal?”. Revista Crioula 1.23: 121-140. DOI: 10.11606/issn.1981-7169.crioula.2019.155948.

KIEFER, Luísa Martins Waetge (2018). Sobre fotografia e ficção: histórias em imagens. Tese de doutoramento. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

KILOMBA, Grada (2019). Memórias da plantação. Episódios de racismo quotidiano. Lisboa: Orfeu Negro.

LANÇA, Marta (2015). “Djaimilia Pereira de Almeida”. Rede Angola. 7 set 2015. http://www.redeangola.info/especiais/85033-2/ [31 março 2021].

LIMA, Norma Sueli Rosa (2020). “Esse cabelo em Luanda, Lisboa, Paraíso: Djaimilia Pereira de Almeida e a experiência do desenraizamento na tentativa de integração”. Convergência Lusíada 31.43: 12-24. DOI: 10.37508/rcl.2020.n43a375.

MATA, Inocência (2018). “Uma implosiva geografia exílica”. Público. 14 dez 2018. https://www.publico.pt/2018/12/14/culturaipsilon/critica/implosiva-geografia-exilica-1854334/ [31 março 2021].

MBEMBE, Achille (2017). Critique of Black reason. Durham: Duke University Press.

MEDEIROS, Paulo de (2020). “Memórias pós-imperiais: Luuanda, de José Luandino Vieira, e Luanda, Lisboa, Paraíso, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Língua-Lugar: literatura, história, estudos culturais 1.1: 136-149. DOI: 10.34913/journals/lingua-lugar.2020.e211.

MIRIZIO, Annalisa (2011). “Autobiography as political essay: narrative strategies in Black postmodern literature”. Afroeurope@n configurations: readings and projects. Ed. Sabrina Brancato. Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing. 157-168.

RAMOS, Marina Feldhues (2017). Conhecer fotolivros: (in)definições, histórias e processos de produção. Dissertação de mestrado. Recife: Universidade Federal de Pernambuco.

RIBEIRO, Margarida Calafate (2019a). “Luanda, Lisboa, Paraíso?”. Buala. 26 dez 2019. https://www.buala.org/pt/a-ler/luanda-lisboa-paraiso/ [31 março 2021].

RIBEIRO, Margarida Calafate (2019b). “Viagens na Minha Terra de ‘outros’ ocidentais”. Heranças pós-coloniais nas literaturas de língua portuguesa. Eds. Margarida Calafate Ribeiro, e Phillip Rothwell. Porto: Afrontamento. 291-308.

SONTAG, Susan (1977). On Photography. New York: Farrar, Straus & Giroux.

SOUSA, Sandra (2017). “A descoberta de uma identidade pós-colonial em Esse cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Abril 9.18: 57-68.

TORRÃO, Nazaré (2017). “Espelho meu, diz-me quem sou e quem poderia ter sido! Uma análise de Esse Cabelo, de Djaimilia Pereira de Almeida”. Exiliance au féminin dans le monde lusophone (XXe – XXIe siècles). Eds. Maria Graciete Besse et al. Paris: Editions Hispaniques. 281-288.

##submission.downloads##

Publicado

2021-11-17

Como Citar

Girotto, Alice. 2021. «Os “álbuns despenteados” Em Esse Cabelo De Djaimilia Pereira De Almeida». MATLIT: Materialidades Da Literatura 9 (1):185-98. https://doi.org/10.14195/2182-8830_9-1_11.

Edição

Secção

Secção Temática | Thematic Section