EDUCAÇÃO PARA A REDUÇÃO DOS RISCOS NAS ESCOLAS PORTUGUESAS: O EXEMPLO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Resumo

Em Portugal, os incêndios florestais causam enormes impactes socioeconómicos e ambientais. O presente estudo tem como objetivo compreender o contributo da escola na educação para o risco de incêndio florestal e explorar como os alunos do 9º ano de escolaridade classificam os riscos que afetam o nosso país e seus municípios de residência. Os resultados mostram que os estudantes classificam o risco de incêndio como a manifestação mais importante à escala nacional e na sua área de residência. Quando questionados sobre as causas, consequências e medidas de mitigação, a maioria demonstrou dificuldades na sua identificação. Com efeito, o currículo formal de Geografia apenas integrou questões relacionadas com a educação para a redução de riscos em 2015. Em contrapartida, o PROSEPE, um projeto não formal, desde o seu início, na década de 90, adotou como objetivos principais a redução do risco de incêndio florestal.

Palavras-chave

Educação escolar; redução do risco de incêndio florestal, perceção do risco por alunos, curriculum de geografia, PROSEPE, Portugal

  • Resumo visualizado = 72 vezes
  • PDF visualizado = 23 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-06-13
Como Citar
NUNES, Adélia N.; MARTINS, Bruno. EDUCAÇÃO PARA A REDUÇÃO DOS RISCOS NAS ESCOLAS PORTUGUESAS: O EXEMPLO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS. Territorium, [S.l.], n. 25(II), p. 41-52, jun. 2018. ISSN 1647-7723. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/territorium/article/view/5564>. Acesso em: 16 nov. 2018.
Secção
Artigos