APRENDER A CONSTRUIR COM TERRA ATRAVÉS DA ANDORINHA-DOS-BEIRAIS

  • Bruno Silva Departamento de Engenharias, ECT. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)
  • Fernando Nunes CQVR. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)
  • José Correia CQVR. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)
  • Pedro Tavares CQVR. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)
  • Humberto Varum Departamento de Engenharia Civil. Universidade de Aveiro (UA)
  • Jorge Pinto Departamento de Engenharias, ECT. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD)
Palavras-chave: Construção de terra, construção sustentável, materiais naturais

Resumo

O facto de a terra ser natural, ecológica, reciclável e abundante faz com que possa ser considerada um material de construção de eleição e com um enorme potencial. Na construção tradicional portuguesa as soluções construtivas que usam terra como material de construção têm uma importante expressão. Este património construído necessita de ser conservado. Neste contexto, o presente trabalho tem como principal objectivo dar um contributo na temática das soluções de melhoramento do comportamento e do reforço de elementos construtivos de terra a partir do estudo biomimético de um ninho da andorinha-dos-beirais. De modo a identificar a eventual existência de algum fenómeno de aglutinação ocorrido durante o processo de construção do ninho da andorinha-dos-beirais, procedeu-se a um trabalho experimental de caracterização a partir de amostras extraídas de diferentes ninhos recolhidos na zona de Vila Real. Para a identificação/caracterização da composição química inorgânica elementar e mineralógica realizaram-se análises em Scanning Electron Microscopy/Energy Dispersive Spectroscopy (SEM/EDS) e em difracção de raios-X. Para a identificação/caracterização da composição orgânica foi feita a quantificação colorimétrica do teor de proteínas pelo método do biureto, e do teor de polissacarídeos/açucares pelo método dos açúcares totais. Os resultados experimentais apontam para a existência de polissacarídeos/açucares no material do ninho e que possívelmente foram adicionados pela andorinha-dos-beirais. Por sua vez, uma simulação numérica de um ninho permitiu compreender o funcionamento desta estrutura natural de terra e verificando-se que ele funciona essencialmente à compressão. Ensaios mecânicos de provetes de solo argiloso misturado com uma solução aquosa à base de um polímero extraído do ninho revelaram uma melhoria de comportamento mecânico. Pretende-se que a partir dos resultados obtidos neste trabalho de investigação se possam retirar sugestões para o desenvolvimento de soluções de estabilização e de melhoramento de elementos construtivos existentes de terra.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-12-06