As valas abertas

  • Álvaro Seiça University of Bergen

Resumo

as valas abertas ++ des fossés ouverts ++ open ditches é um poema composto por 40 linhas com o máximo de 80 caracteres por linha. O poema explora regras de composição e temas presentes no conto “A Biblioteca de Babel” (1941) de Jorge Luis Borges. O poema foi criado como resposta a um desafio, Langlibabex (2014), uma peça de poesia simultânea multilíngue desenvolvida em colaboração com Claire Donato e Luc Dall’Armellina.

Em as valas abertas ++ des fossés ouverts ++ open ditches coexistem níveis e funções plurais de modos de leitura, visto que o navegador e a voz humana reproduzem a leitura do código fonte com uma saída visual e emissão sonora distintas. A voz humana apresenta uma leitura literal do código HTML, enquanto que a leitura do navegador omite certas passagens que estão inseridas dentro de marcadores HTML inventados e não-estandardizados, que se relacionam com o corpo humano dentro do marcador <body>. Os vários corpos realçam fricções e tensões entre agentes humanos e não-humanos na sua relação com a linguagem e o código: as linguagens ditas “naturais” e as linguagens de programação.

Na altura em que o poema foi escrito, corpos vivos cavavam inúmeras valas abertas na Ucrânia, que estavam já destinadas a futuros corpos mortos, mas desconhecidos. O poema entrelaça este facto com os factos ficcionais de Borges. Foi composto e gravado em Paris, em Novembro de 2014, em português, inglês, francês e HTML. O poema e o ficheiro mp3 podem ser descarregados em http://alvaroseica.net/works/as-valas-abertas.html

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

Álvaro Seiça, University of Bergen
Álvaro Seiça is a writer, editor and researcher. He published four poetry books, the most recent being Ö (2014) and permafrost: 20+1 zeptopoemas sms (2012). He holds a MA in Contemporary American Literature, with the thesis “Transduction: Transfer Processes in Digital Literature and Art” (University of Évora, 2011), winner of the Moser Prize 2013. Seiça has published several poems and essays in different journals. In 2007, he co-founded Bypass, a nomadic editorial and curatorial project. He currently lives in Bergen, Norway, where he is a PhD fellow in Digital Culture at the University of Bergen, Humanities Faculty, Department of Linguistic, Literary and Aesthetic Studies. Seiça is a researcher on electronic literature and digital art at the Bergen Electronic Literature Research Group and editor of the ELMCIP KB (http://elmcip.net). His PhD project focus on digital poetry and how time and space shape digital kinetic poetics. @AlvaroSeica
Publicado
2017-12-27
Como Citar
Seiça, Álvaro. 2017. As Valas Abertas. MATLIT: Materialidades Da Literatura 5 (1), 81-82. https://doi.org/10.14195/2182-8830.
Secção
Mediarama | Mediascape