CHAMADA DE ARTIGOS | MEDIA & JORNALISMO: 20 ANOS

2021-10-20

Editores do número: Carla Baptista (NOVA FCSH / ICNOVA)
Marisa Torres da Silva (NOVA FCSH / ICNOVA)
Alberto Pena Rodriguez (Universidade de Vigo / CEIS20, Universidade de Coimbra)

Prazo para a submissão de artigos: 31 de março de 2022
Data prevista para a publicação: novembro de 2022

A Revista Media & Jornalismo faz 20 anos! Nestas duas décadas, em que as novas tecnologias e formas de comunicação digital desenvolveram processos de transformação revolucionários, a revista conseguiu consolidar-se como uma publicação peer-review indexada em algumas das bases de dados internacionais mais relevantes. Nela têm já colaborado muitas dezenas de investigadores nacionais e estrangeiros que a converteram num meio de debate científico que aspira alcançar o máximo rigor e qualidade na edição de cada novo número, desde a sua fundação em 2002.

Estamos, pois, a celebrar a data com um número especial dedicado a pensar o contributo dos estudos dos media e do jornalismo para a compreensão das dinâmicas sociais, políticas, económicas e culturais. Abrimos uma call destinada a acolher contributos originais e sistematizados sobre as modalidades complexas da relação tantalizante entre media e sociedade. Queremos promover uma edição crítica, capaz de historicizar o pensamento académico neste campo de estudos, debater com novos insights os problemas identificados e projetar soluções criativas e envolventes para o futuro.

A Media & Jornalismo foi a primeira revista académica portuguesa a publicar de forma sistemática investigação pioneira no campo das ciências da comunicação. Mantendo o foco inicial de ser um espaço de discussão qualificada para compreender as dinâmicas sociais e políticas ativadas pelos media e pelo jornalismo na sociedade contemporânea, este número especial não pode deixar de sinalizar as transformações ocorridas nos objetos de estudo e nas teorias. Nas primeiras duas décadas do segundo milénio, a sociedade datificou-se, reinam novos conglomerados de produção e circulação do simbólico estruturados sobre infra estrutura técnica que cumprem o sonho e o pesadelo dos deterministas tecnológicos, as máquinas tornaram-se inteligentes, adjetivamos a política de “disruptiva” e “extremada”, o jornalismo quase desapareceu, as esferas públicas privatizaram-se e mantiveram as dinâmicas já em curso de fragmentação, os ativismos são digitais e a programação algorítmica capitaliza nas esferas que mais caracterizam o humano e o pós-humano: a intimidade, os afetos, as emoções. 

Os novos meios, redes e instrumentos de comunicação digital não só transformaram a nossa forma de perceber e contar a realidade, mas também a estrutura das relações sociais, a circulação de informação entre emissores e públicos em qualquer contexto, o intercâmbio comercial entre produtores e consumidores, o debate entre agentes políticos, sociais, económicos e culturais nos espaços públicos, as rotinas produtivas e de difusão de conteúdos audiovisuais, a forma de representar conceptualmente o mundo à nossa volta e, em suma, também modos de sentir, pensar e viver.

Estamos a assistir, de facto, ao nascimento de uma nova sociedade, na qual a inovação tecnológica associada ao mundo cibernético, à virtualidade das narrativas e à sua viralização robotizada são algumas das características deste grande terramoto digital que abala os alicerces em que se baseia o sistema produtivo da comunicação moderna, afetando em particular os media tradicionais, na emergência de um novo panorama transmedia em que o jornalismo clássico e o discurso informativo sério e rigoroso perderam o seu protagonismo na simplificação de modelos de comunicação que banalizam ou desprezam a realidade dos factos, ou que promovem a desinformação e a propaganda ao serviço de causas manipuladoras que pervertem o significado democratizante da Internet e das redes sociais.

Nesta edição especial da Media & Jornalismo queremos refletir de forma interdisciplinar e multi-metodológica sobre as ruturas e as permanências que mais caracterizam os últimos 20 anos de produção, distribuição, partilha e receção de conteúdos jornalísticos e mediáticos por públicos diferenciados e globalizados. Assim, encorajamos em particular (mas não de forma exclusiva) a submissão de propostas focadas nos seguintes temas:

- Desafios contemporâneos para as teorias do jornalismo e dos media;
- Fenómenos disruptivos na era digital: desinformação, discurso de ódio, populismo;
- Media e conflitos sociais;
- Media e ativismos digitais;
- Usos sociais das tecnologias de comunicação;
- Novas formas de participação política e cidadã;
-  Visões críticas, históricas ou estudos de casos sobre media enquanto tecnologias culturais;
- Ensaios sobre figurações mediáticas em territórios físicos e/ou simbólicos;
- Linguagens na comunicação;
- Processo de mediatização;
- Influência dos media na construção da memória coletiva e das identidades sociais;
- Media, racismo e sexismo;
- Reflexões sobre o futuro dos media e do jornalismo;
- Ensino e formação no campo dos media e do jornalismo;
- As artes mediáticas na paisagem contemporânea.

 

DATAS IMPORTANTES

Prazo para a submissão de artigos: 31 de março de 2022
Decisão dos editores: junho de 2022
Data prevista para a publicação: novembro de 2022

 

A Revista Media & Jornalismo (RMJ) é uma revista científica de acesso aberto arbitrada por pares e que opera num processo de dupla revisão cega, estando indexada na Scopus. Cada trabalho submetido será distribuído a dois revisores previamente convidados a avaliá-lo, de acordo com a qualidade académica, originalidade e relevância para os objetivos e âmbito da temática desta edição da revista. Os artigos podem ser submetidos em Inglês, Espanhol ou Português.

Os manuscritos devem ser submetidos através do website da revista (https://impactum-journals.uc.pt/mj). Ao aceder à RMJ pela primeira vez, deve registar-se para poder submeter o seu artigo e acompanhá-lo ao longo do processo editorial. Consulte as Instruções para Autores , Condições para Submissão e a Políticas editoriais da revista.

Para mais informações, contacte: patriciacontreiras@fcsh.unl.pt