A liberdade de imprensa nas cortes vintistas: discursos e representações dos deputados eclesiásticos

Resumo

O presente artigo propõe-se a refletir a presença político-ideológica dos deputados eclesiásticos nas Cortes portuguesas de 1821-1823 no que à temática da liberdade de imprensa diz respeito. Procurar-se-á, assim, por meio de uma estreita observância dos seus discursos parlamentares, demonstrar de que forma o seu contributo foi importante para a regulamentação jurídica da liberdade de Imprensa em Portugal, bem como descortinar que representação tiveram num dos debates mais longos e controversos (cujos variados pontos sobre a matéria em análise, como seja os da defesa ou condenação da Censura prévia ou os do modo como julgar os possíveis abusos movidos contra o Estado ou contra a religião, motivaram, aliás, a demarcação clara de posições antagónicas) que a Assembleia Constituinte conheceu.

  • Resumo visualizado = 27 vezes
  • PDF visualizado = 20 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-05-14
Como Citar
DA SILVA, Diana Tavares. A liberdade de imprensa nas cortes vintistas: discursos e representações dos deputados eclesiásticos. Revista de História das Ideias, [S.l.], v. 37, p. 133-166, maio 2019. ISSN 2183-8925. Disponível em: <https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6508>. Acesso em: 19 ago. 2019.
Secção
Artigos