A construção do Estado Novo vista pelos editoriais do jornal Diário da Manhã

Resumo

O artigo propõe-se analisar o processo de construção do Estado Novo nos anos 30 a partir da leitura dos Editoriais do jornal Diário da Manhã. Assim, contextualiza-se o aparecimento do periódico em 1931 e articula-se este facto com a emergência da União Nacional fundada em 1930 e com os seus Estatutos aprovados em 1932. Mostra-se como o DM era o orgão oficial do «partido político» do regime ditatorial e aborda-se a ideologia Estado-Novista por ele divulgada. Num segundo momento, opõe-se a doutrina nacionalista ao individualismo e ao demoliberalismo que tinham pautado a velha República e que foram derrotados pela «Revolução Nacional». Explica-se a formação da Constituição de 1933, descreve-se o modelo Corporativo da República Unitária e revela-se a Escola no quadro das reformas educativas de Carneiro Pacheco. Como epílogo do texto, traça-se uma breve panorâmica das relações entre Portugal e Espanha desde o fim da Ditadura de Primo de Rivera (1931) ao termo da Guerra Civil com o triunfo das forças franquistas apoiadas pela Itália, Alemanha e Portugal.

Palavras-chave

União Nacional, Constituição, Corporativismo, Escola, Guerra Civil

  • Resumo visualizado = 18 vezes
  • PDF visualizado = 13 vezes

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-05-15
Como Citar
NETO, Vítor. A construção do Estado Novo vista pelos editoriais do jornal Diário da Manhã. Revista de História das Ideias, [S.l.], v. 37, p. 285-312, maio 2019. ISSN 2183-8925. Disponível em: <https://impactum-journals.uc.pt/rhi/article/view/6516>. Acesso em: 19 ago. 2019.
Secção
Artigos