Idade, Género e Bem-Estar Subjectivo nos Adolescentes

  • António Borges da Silva
  • Margarida Gaspar de Matos
  • José Alves Diniz Universidade Nova de Lisboa
Palavras-chave: Adolescência, Género, Bem-Estar Subjectivo, Componente Cognitiva, Componente Afectiva

Resumo

O âmbito cognitivo-valorativo apresenta uma maior estabilidade na vida do adolescente do que o âmbito afectivo-emocional. A auto-percepção da saúde, enquanto bem-estar biopsicossocial, é afectada por estes componentes, que assumem proporções distintas de acordo com o género e a idade do adolescente. Numa amostra de 4877 adolescentes, residentes em Portugal Continental, com uma média de 14 anos, 49.6% do género masculino e 50.4 % do género feminino, estudou-se a relação da idade e do género com a percepção de bem-estar subjectivo. Os dados estatísticos mostraram que o componente afectivo-emocional assume um maior relevo na percepção do índice de bem-estar subjectivo dos adolescentes, sendo também mais vulnerável às influências da idade e do género. Para além dos processos de alteração e ajuste internos do adolescente, estes resultados sugerem influência dos contextos familiar, escolar e sociocultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-12-01
Como Citar
Silva, A. B. da, Matos, M. G. de, & Diniz, J. A. (2010). Idade, Género e Bem-Estar Subjectivo nos Adolescentes. Revista Portuguesa De Pedagogia, (44-2), p. 39-60. https://doi.org/10.14195/1647-8614_44-2%x
Secção
Artigos