Educação para o risco e desenvolvimento sustentável na formação de futuros cidadãos

  • Carla Vigário Departamento da Educação e Psicologia da Universidade de Aveiro (Portugal) http://orcid.org/0000-0003-0291-209X
  • Mário Talaia CIDTFF – Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Formadores, Departamendo de Física da Univ. Aveiro (Portugal) http://orcid.org/0000-0003-4311-6209
Palavras-chave: Sustentabilidade, educação para o risco, estufa, desenvolvimento de plantas, orvalho, cidadania

Resumo

De acordo com o Conselho Nacional de Educação vive-se numa sociedade que é sistematicamente confrontada com notícias sobre a presença do risco, desde riscos naturais aos que resultam diretamente da ação humana, sendo certo que se interligam fortemente. Por isso, desenvolver conhecimentos relacionados com a vida, nomeadamente, sobre as plantas comestíveis, os fenómenos envolvidos no seu desenvolvimento ou o seu tratamento e cultivo, com recursos de baixo custo, é considerado uma forma de contribuir para a formação de cidadãos. Sendo assim, este trabalho mostra a importância de como uma horta, enquanto extensão de sala de aula, pode construir conhecimento científico e desenvolver competências e cidadania em alunos, futuros cidadãos, que mais tarde poderão ter o privilégio de tomarem decisões de planeamento ambiental e florestal. Os resultados obtidos mostraram que é possível verificar a importância das plantas como fundamentais para toda a vida na terra. Foram interpretadas as diferenças do desenvolvimento das
plantas em céu aberto e em estufa e valorizou-se a rega natural durante a noite através da formação do orvalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Cohen, L., Manion, L. e Morrison, K. (2010). Research Methods in Education (6.ª ed.). New York: Routledge.

Comissão Europeia (2013). Comunicação da Comissão ao Parlamento Europeu, ao Conselho, ao Comité Económico e Social Europeu e ao Comité das Regiões – Uma vida digna para todos: Erradicar a pobreza e dar ao mundo um futuro sustentável. COM (2013) 92 final.

Driver, R., Newton, P. e Osborne, J. (2000). Establishing the norms of scientific argumentation in classrooms. Science Education, 84(3), p. 287-312.

European Multi-Stakeholder Steering Group on Development Education (2007). O Consenso Europeu sobre o Desenvolvimento: O contributo da educação para o desenvolvimento e da sensibilização.

IPCC (2014a). Climate Change 2014: Mitigation of Climate Change. Intergovernmental Panel on Climate Change Contribution of Working Groups III.

IPCC (2014b). Climate Change 2014: Synthesis Report. Intergovernmental Panel on Climate Change Contribution of Working Groups I, II and III.

Gomes, C., Brocardo, J., Pedroso, J., Carrillo, J., Ucha, L., Encarnação, M., Horta, M., Calçada, M., Nery, R. e Rodrigues, S. (2017). Perfil dos Alunos para o século XXI. Coord Martins, G. O., Editor Ministério da Educação, República Portuguesa – Educação, 24 p.

Martins, I. (2002). Problemas e perspetivas sobre a integração CTS no sistema educativo português. Revista Eletrónica de Enseñanza de las Ciências, 1(1).

Ministério da Educação (2004). Organização Curricular e programas 1.º Ciclo do Ensino Básico - Estudo do Meio. (4.ª ed.). Editor: Departamento da Educação Básica. Ministério da Educação.

Morin, E. (1999). Os Sete Saberes Para a Educação do Futuro. Instituto Piaget Horizontes Pedagógicos.

National-Research-Council (2014). Literacy for Science: Exploring the Intersection of the Next Generation Science Standars and Common Core for ELA Standards, A Workshop summary, H. Rhodes and M. A. Feder, Rapporteurs. Steering Committee on Exploring the Overlap between “Literacy in Sci”. Wasshigton DC: The National Academies Press.

OECD (2015). Final NAEC Synthesis. New Approaches to Economic Challenges. Meeting of the Council at Ministerial Level. Paris, 3-4 de Junho de 2015.

Talaia, M. e Vigário, C. (2016). Temperatura de ponto de orvalho: um risco ou uma necessidade. Geografia, Cultura e Riscos. Livro de Homenagem ao Prof. Doutor António Pedrosa. Luciano Lourenço (Coords.), Imprensa da Universidade de Coimbra, p. 169-197. DOI: https://doi.org/10.14195/978-989-26-1237-9_7

Torres, A., Figueiredo, I., Cardoso, J., Pereira, L., Neves, M. e Silva, R. (2016). Referencial de Educação para o Desenvolvimento – Educação Pré-Escolar, Ensino Básico e Ensino Secundário. Coordenadores Cardoso, J., Pereira, L., Cabral, A. E Neves, M., Editor Ministério da Educação, 79 p.

UNESCO (2005). Draft International implementation scheme for the United Nations Decade of Education for Sustainable Development. Paris: United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization.

UNESCO (2014). Roadmap for Implementing the Global Action Programme on Education for Sustainable Development. United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization, Paris, France.

United Nations (2013). A new global partnership: Eradicate poverty and transform economies through sustainable development. The Report of the High-Level Panel of Eminent Persons on the Post-2015 Development Agenda. New York.

UNFPA - United Nations Population Fund (2007). State of world population 2007. Unleashing the Potential of Urban Grouth. New York: UNFPA.

Vilelas, J. (2009). Investigação: O processo de construção do conhecimento. Lisboa: Edições Sílabo.

Publicado
2018-01-18
Secção
Artigos