EDUCAÇÃO, RISCOS E CURRÍCULOS ESCOLARES

Palavras-chave: Geografia, manuais escolares, reformas, boas práticas, cidadania.

Resumo

Na escola do século XIX, o território é um elemento apologético e identificador, de que se exalta a fertilidade da terra e o caráter benigno do clima. A denúncia de fragilidades e desequilíbrios ambientais surge quase como contra natura. Já no século XXI, os currículos escolares passaram a abordar os riscos, particularmente na disciplina de Geografia. Contudo, o seu ensino tende a seguir a tradição da memorização de conceitos e regras e desvaloriza o estudo da realidade local, do território vivido pelos alunos. O desafio consiste em colocar os alunos a desenvolverem trabalho de campo e a discutirem casos concretos que lhe sejam, tanto quanto possível, próximos e significativos. Em Portugal, há projetos surgidos no país, como o Nós Propomos!, ou de origem internacional, como o Eco-Escolas, que têm demonstrado ser possível mobilizar os jovens para a resolução de problemas socioambientais. A educação para os riscos constrói-se na inovação das práticas educativas e estende-se da escola para a comunidade e para todos os atores e instituições comprometidos com a prevenção dos riscos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-06-01
Secção
Artigos