AS PALAVRAS DELA ERAM ESTRANGEIRAS MESMO DITAS NA MESMA LÍNGUA. TIPOLOGÍA, ANÁLISIS E INTERPRETACIÓN DE LA FIGURA DEL EXTRANJERO EN LA OBRA DE MIA COUTO

  • Ana Belén García Benito Universidad de Extremadura

Resumo

É objetivo do presente trabalho analisar a figura do estrangeiro no conjunto da obra do escritor moçambicano Mia Couto, visto nela “o outro”, o que vem do exterior, ser uma presença constante, atingindo o perfil de personagem tipo, identificável através de comportamentos idênticos perante situações semelhantes. Realizaremos uma aproximação aos diferentes tipos de estrangeiro que se podem encontrar, analisando a sua especificidade. Tentaremos oferecer uma interpretação desse “estrangeiro omnipresente” na obra de Couto, pois, na maior parte dos casos, se trata da visão de alguém completamente alheio à realidade africana, que desconhece e que dificilmente chegará a compreender. A sua interpretação da cultura africana baseia-se, portanto, na sua própria cultura, situando-se num nível monocultural em que o acesso à cultura do outro é feito numa perspetiva periférica e superficial. Finalmente e como consequência, a obra de Couto surge como um inestimável recurso pedagógico intercultural, já que contribui a desenvolver nos leitores a sensibilidade necessária para estabelecer relações entre a sua cultura e a cultura do outro.

Palavras-chave

Mia Couto, “o estrangeiro”, “o outro”, interculturalidade

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-06-19
Como Citar
BENITO, Ana Belén García. AS PALAVRAS DELA ERAM ESTRANGEIRAS MESMO DITAS NA MESMA LÍNGUA. TIPOLOGÍA, ANÁLISIS E INTERPRETACIÓN DE LA FIGURA DEL EXTRANJERO EN LA OBRA DE MIA COUTO. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 5, p. 373-394, jun. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4303>. Acesso em: 24 out. 2017.