BATEPÁ: UM PASSADO ASSOMBRADO? FANTASMAS, MEMÓRIA E IDENTIDADE NAS REPRESENTAÇÕES LITERÁRIAS DO “MASSACRE DE 1953” EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

  • Inês Nascimento Rodrigues Universidade de Coimbra

Resumo

O presente artigo propõe-se pensar as interseções entre a memória e a identidade nas representações do «Massacre de Batepá» pelas poetas Alda Espírito Santo e Conceição Lima. A partir do conceito de fantasmagoria de Avery Gordon e da sociologia das ausências e das emergências de Boaventura de Sousa Santos, concluí que, por motivos geracionais, os fantasmas que habitam os seus textos são muito distintos, manifestando conceções diferentes daquela que será a identidade cultural santomense.

Palavras-chave

Fantasmagoria, Sociologia das Ausências e das Emergências, Memória, Identidade, Massacre de Batepá, São Tomé e Príncipe

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-06-19
Como Citar
RODRIGUES, Inês Nascimento. BATEPÁ: UM PASSADO ASSOMBRADO? FANTASMAS, MEMÓRIA E IDENTIDADE NAS REPRESENTAÇÕES LITERÁRIAS DO “MASSACRE DE 1953” EM SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE. Revista de Estudos Literários, [S.l.], v. 5, p. 441-458, jun. 2017. ISSN 2183-847X. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rel/article/view/4306>. Acesso em: 24 out. 2017.