Arquivos e Edições Digitais

  • Manuel Portela CLP, Universidade de Coimbra
  • Matheus de Brito CLP, Universidade de Coimbra (Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura) | IEL, Universidade Estadual de Campinas (Programa de Pós-Graduação em História e Teoria Literária)
Palavras-chave: Arquivo Digital, Edição Eletrónica.

Resumo

Apresentação sumária de sete arquivos digitais: Rossetti Archive, Dickinson Electronic Archives, The William Blake Archive, Radical Scatters, Arquivo Pessoa, Espólio Fernando Pessoa e Samuel Beckett Digital Manuscript Project.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Manuel Portela, CLP, Universidade de Coimbra

Manuel Portela é professor do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e é o atual Coordenador do Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura. É membro do Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra. Foi Director do Teatro Académico de Gil Vicente,  entre 2005 e 2008. É autor, entre outras, das primeiras traduções portuguesas de Cantigas da Inocência e da Experiência (1994; edição revista, 2007) e Milton (2009), de William Blake,  e A Vida e Opiniões de Tristram Shandy, de Laurence Sterne (2 vols, 1997-98), pela qual recebeu o Grande Prémio de Tradução. Publicou em 2003 O Comércio da Literatura: Mercado e Representação, um extenso estudo sobre o mercado literário inglês no século XVIII. Nos últimos anos tem investigado a digitalização da literatura e da cultura, tendo leccionado diversas disciplinas e seminários no domínio das humanidades digitais.

Manuel Portela teaches in the Department of Languages, Literatures, and Cultures at the Faculty of Arts, University of Coimbra, and he is the current Coordinator of the PhD Program Advanced Studies in the Materialities of Literature. He is a member of the Centre for Portuguese Literature at the University of Coimbra, and was Director of the University Theatre between 2005 and 2008. His many translations include the first Portuguese translations of Songs of Innocence and of Experience (1994; revised, 2007) and Milton (2009), by William Blake,  and The Life and Opinions of Tristram Shandy, Gentleman (2 vols, 1997-98), by Laurence Sterne, for which he received the National Award for Translation. In 2003, he published O Comércio da Literatura: Mercado e Representação [The Commerce of Literature: Marketplace and Representation], an extensive study of the English literary market in the 18th century.  His latest research has been concerned with the digital literature and digital culture. He has taught several courses and seminars on digital media.

Matheus de Brito, CLP, Universidade de Coimbra (Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura) | IEL, Universidade Estadual de Campinas (Programa de Pós-Graduação em História e Teoria Literária)

Matheus de Brito, brasileiro, nascido em 1988, João Pessoa-PB. Estudante de Letras Clássicas e Vernáculas na Universidade Federal da Paraíba (2006-08), veio à Universidade de Coimbra como aluno da mobilidade e concluiu aí a licenciatura em “Português” (2011). Seu desempenho ao longo do curso envolve trabalhos em teoria da literatura e teoria crítica, especialmente as idéias estéticas do eixo Benjamin-Adorno. As figuras de que se ocupa surgem através da constelação Filosofia-Estética-Linguagem, à qual as Materialidades da Literatura proporcionam um decisivo prisma. Subscreve o quase-não-tão-velho dictum rimbaudiano, “Il faut être absolument moderne” (deve-se ser absolutamente moderno). Tem também suas pretensões literárias e afins, compulsivamente documentadas no blogue disformevazio.

Matheus de Brito, brazilian, born in 1988, João Pessoa-PB. Student of “Classical and Vernacular Languages and Literatures” at Universidade Federal da Paraíba (2006-08), he came as a mobility student to the University of Coimbra, where he took his degree in “Portuguese” (2011). He has been working along with theory of literature and critical theory, especially the aesthetic ideas of Walter Benjamin and Theodor Adorno. His concerning pictures show themselves through the Philosophy-Aesthetics-Language constellation, to which the Materialities of the Literature provide a decisive prism. Subscribing to the hardly-that-old Rimbaud’s dictum, “Il faut être absolument moderne” (one must be absolutely modern), he also has some literary pretensions and related, which are compulsively documented at disformevazio (“shapelessvoid”, his blog).

RossettiArchive
Publicado
2013-06-30

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)

1 2 > >>