Escrever com Máquinas Automáticas: Entre Tradução e Sabotagem

  • Ana Marques CLP, Universidade de Coimbra (Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura, Bolseira FCT)
Palavras-chave: cibernética, cognição, informação, sentido, estética

Resumo

Um texto generativo é um sistema constituído por cognitores inconscientes e conscientes, processos digitais e analógicos, e modos matemáticos e linguísticos de representação. Mas em que consiste a cognição algorítmica? E de que modo é construído o sentido num sistema em que as intenções autorais e as experiências e interpretações dos leitores são mediadas por agentes algorítmicos? Através da análise de How It Is In Common Tongues (Cayley and Howe, 2012), pretendo analisar as tensões que surgem a partir do encontro entre cognição algorítmica e humana, e entre regimes de informação e de expressão. Com base na visão de Katherine Hayles sobre cognição não-consciente e na teoria de informação de Claude Shannon, começo por estabelecer uma distinção entre informação e sentido, entre comunicação e expressão, e entre os regimes de informação e o literário. Para refletir sobre a ecologia política da mediação digital (situada no regime informacional da cibernética), considerarei a perspetiva de Matteo Pasquinelli sobre a coevolução da tecnologia e da economia, e considerarei como os processos cognitivos algorítmicos incorporam e reforçam as estruturas do capitalismo cognitivo contemporâneo. Por fim, referirei as estratégias de resistência possibilitadas pelas abordagens estéticas da computação, como as que são exploradas neste estudo de caso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAYLEY, John (2011). “Writing to be Found and Writing Readers.” Digital Humanities Quarterly 5.3. 20 May 2017. http://www.digitalhumanities.org/dhq/vol/5/3/000104/000104.html

CAYLEY, John, and Daniel C. Howe (2012). How It Is In Common Tongues. 30 May 2017. http://thereadersproject.org/?hiiict2012

CAYLEY, John, and Daniel C. Howe (2013). “Reading, Writing, Resisting: Literary Appropriation in the Readers Project.” Proceed-ings of the 19th International Symposium on Electronic Art, ISEA2013, Sydney. 22 May 2017. http://ses.library.usyd.edu.au/handle/2123/9708

HAYLES, N. Katherine (2014). “Cognition Everywhere, The Rise of the Cognitive Nonconscious.” New Literary History, 45.2: 199-220. 20 May 2017.

PASQUINELLI, Matteo (2014). “The Labour of Abstraction: Seven Transitional Theses on Marxism and Accelerationism.” Fillip magazine #19. 27 May 2017. http://matteopasquinelli.com/labour-of-abstraction-theses/
Publicado
2018-08-10
Secção
Secção Temática | Thematic Section