O corte revolucionário nos media e o “efeito de atraso” nas teorias da comunicação

  • Mário Mesquita Instituto Politécnico de Lisboa, Escola Superior de Comunicação Social, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
Palavras-chave: media portugueses, corte revolucionário, ideologia, jornalistas, 1974-1975

Resumo

A autonomização do campo jornalístico em Portugal teve no período de 1974-1975 um marco importante, com a abolição da censura estatal. Interpretam-se as estratégias relativas aos media e ao campo jornalístico na perspetiva das teorias da comunicação e do conceito designado por “efeito de atraso” (Neveu).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-10-25