Arquivar o exílio, contrariar o silêncio: memórias, objetos e narrativas de tempos incertos

Palavras-chave: exílio, arquivos, memória, Portugal, Europa

Resumo

Este artigo discute as práticas de arquivamento – produção e preservação de arquivos – em contextos de exílio no quadro do projecto # Ecos. Exilios, contrariar o silêncio: memórias, objectos e narrativas de tempos incertos.

            Tomando como corpo empírico um conjunto de entrevistas realizadas a membros da Associação de Exilados Políticos Portugueses (AEP61-7461-74) que estiveram exilados em França, na Dinamarca, na Suécia e na Holanda durante o regime do Estado Novo, particularmente no período da Guerra Colonial Portuguesa (1961-1974), pretende-se explorar o arquivo como um artefacto cultural, espelho de um tipo específico de mobilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-06
Secção
Artigos